Pages

domingo, 4 de setembro de 2016

O LÍDER E O CUIDADO COM SUA PRÓPRIA SALVAÇÃO

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina: persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” (1Tm 4.16).
Não se aparte da tua boca o livro dessa lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e então prudentemente te conduzirás” (Jo 1.8).
Desde a estatização da Igreja no século III, quando o imperador Constantino, (conhecido como o grande cristão de alma pagã) entrou para fazer parte do cristianismo, temos tido homens não salvos em meio a liderança da igreja. Apenas pensando em usufruírem do cargo, da posição e status oferecido.  Disse Paulo aos anciãos em Éfeso: “Porque eu sei isto: que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão o rebanho; E que dentre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após sí” (At 20 29,30).
O pastor Hernandes Dias Lopes, em seu livro: De pastor para pastor, cita Richard Baxter, do século 17, dizendo que o mesmo já alertava para o fato de existirem pastores que precisavam nascer de novo. Paulo tinha uma grande preocupação com sua própria salvação: “Antes subjugo (esmurro) o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado” (1Co 9.27).
Julgo que hoje não é diferente! Sei que é um julgamento muito subjetivo, pois cada um conhece seu relacionamento com Deus. Porém, Jesus, o nosso Salvador e mestre por excelência, disse: “Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? “(Mt 7.16), e continuou dizendo: “Portanto, pelos seus frutos os conhecereis” (Mt 7.20).
Ser salvo não é apenas levantar a mão, passar algum tempo na igreja, ser batizado nas águas. Ser salvo é ter as obras de um salvo. Testemunho de um salvo. Como disse Paulo: “Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados” (Ef 4.1). E João complementa: “Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou” (1Jo 2.6). Há muitos que estão apontando o caminho da salvação para os outros, e eles mesmos nunca andaram por esse caminho (1Tm 4.2; 2Tm 3.1-5).
... assim também, operai a vossa salvação com temor e tremor” (Fil 2. 12).  A palavra “operai” vem do grego “katergodzomai”, que significa, produzir, conseguir, atingir. A fé, que no dizer de Judas, foi dada uma vez aos santos (Jd 3), é um principio vivo e ativo, o qual transforma o homem segundo a imagem moral e metafísica (gr. meta = além; physis = natureza física)  de Cristo. Paulo queria dizer o seguinte: “Depois de ter uma fé genuína; também deveis permitir e encorajar o Espírito, para que realize a sua obra; deveis ser verdadeiramente santificados; deveis realmente desenvolver as virtudes morais; deveis ser transformados; deveis viver a vida caracterizada pelo amor. Do contrário, não haverá salvação em vós”. (Champlin).
Nesse sentido, podemos dizer que Deus nos dá a semente, para que produzamos os frutos: “Cheios de frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus” (Fil 1.11); “Porque por vós soou a Palavra do Senhor, não somente na Macedônia e Acaia, mas também em todos os lugares a vossa fé para com Deus se espalhou, de tal maneira que já dela não temos necessidade de falar coisa alguma” (1Ts 1. 8). Significando dizer, que os crentes de Tessalônica, operaram bem; desenvolveram bem a sua salvação.
Falando ainda da semente que Deus plantou em nós, através do seu glorioso Espírito Santo, nos recorremos as palavras do apóstolo Pedro, em sua segunda carta 1. 3-11.
v.3 “Visto como o seu divino poder nos deu tudo  o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua gloria e virtude”;
v. 4 “Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo”.
v. 5 “E vós também, pondo nisto mesmo toda a diligencia, acrescentai à vossa a virtude, e à virtude a ciência”,
v. 6 “E à ciência temperança, e à temperança paciência, e à paciência piedade”,
v. 7 “E a piedade amor fraternal; e ao amor fraternal caridade.
v. 8 “Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo”.
v. 9 “Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados”.
v. 10 “Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis”.
v. 11 “Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”.
O que podemos aprender nesse texto de Pedro, é que a semente da fé, contém tudo o que seja necessário para o desenvolvimento de nossa salvação (v.3). Portanto, aqueles que não conseguem desenvolver essas qualidades cristãs, são semelhantes a uma semente, que foi lançada na terra, e morreu sem produzir nenhum fruto.
Estamos acostumados a ensinar aos outros a produzirem frutos para Deus. Frutos que comprovem a salvação. Mas, será que estamos sendo exemplos disso? Escutemos Paulo: “Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores; dos quais eu sou o principal”. “Mas por isso alcancei misericórdia, para que em mim, que sou o principal, Jesus Cristo mostrasse toda a sua longanimidade, para exemplo dos que haviam de crer nele para a vida eterna” (1Tm 1.15,16).
Outra coisa importante é não pensar apenas em ser exemplo, mas, sobretudo pensar também em nossa salvação, como algo precioso para nós mesmos. Precisamos também ser participantes do evangelho. “E faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele” (1Co 9. 23).
Para o obreiro que não cuidou de sua salvação o Senhor vai dizer assim: “... Mau e negligente servo; sabes que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei” (Mt 25. 26).
Mas para o obreiro fiel ele dirá: “... Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entre no gozo do teu Senhor” (Mt 25.21).
Cuidemos, pois, da nossa salvação! “E agora filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar tenhamos confiança, e não sejamos confundidos por ele na sua vinda” (1Jo 2.28).

Pr Daniel Nunes

2 comentários:

Daladier Lima disse...

Meu prezado Pr. Daniel Nunes este é um assunto extremamente pertinente. Penso que as EBOs espalhadas pelo Brasil deveriam aprofundá-lo. Infelizmente, naquele grande dia não vamos encontrar alguns líderes, pois estavam em falha com Deus, mesmo que ninguém (nunca existe ninguém, não é?) soubesse. Que Deus tenha misericórdia de nós. Receba nosso abraço!

Pastor Daniel Nunes disse...

Muito obrigado caro companheiro, pastor Deladier Lima por sua visita ao nosso blog. Pr Daniel Nunes

Postar um comentário