Pages

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

GRANDE CAMPANHA DE ORAÇÃO E JEJUM NA AD DE CAMPINA GRANDE E IGREJAS FILIADAS A COMEAD-CGPB


DIA O4 – Tema – Igreja – “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” Mt 16.18. Mostrar o real significado de Igreja. A importância de pertencer ao corpo de Cristo, etc.

DIA 05 – Tema – Família – Leitura do Salmo 128. Trabalhar o tema da importância de preservarmos a família constituída por Deus: O homem, a Mulher e os filhos.

DIA 06 – Tema – Vocação – Ler Rm 12. 3-8. Trabalhar a chamada de Deus para cada membro do seu corpo. Mostrar que na obra do Senhor há trabalho para todos. Assim como todos os membros tem sua utilidade, cada membro do corpo de Cristo tem um papel a de suma importância na casa de Deus.

DIA 07 – Tema – Oração – “Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda perseverança e súplica por todos os santos” Ef 6.18. Trabalhar o tema, mostrando as muitas maneiras de orar, quais sejam: intercedendo, suplicando, adorando, pedindo, etc.

DIA 08 – Tema – Amor para como meu irmão, e o amor de Deus por nós – Ler 1Jo 4. 7-21. Trabalhar o tema, mostrando o grande amor de Deus por nós e o amor que devemos ter para com nossos irmãos, provando assim que conhecemos e amamos a Deus.

DIA 09 – Tema – Perdão – “Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” Ef 4.32. Trabalhar a grande necessidade de perdão existente hoje dentro da igreja.

DIA 10 – Tema – Evangelização – “E disse lhes Jesus: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura” Mc 16.15. Trabalhar o tema da evangelização, mostrando a necessidade de voltarmos ao evangelho puro e simples. Muitos estão exortando a igreja nos dias de domingo. É preciso evangelizar, continuar ganhando almas para o reino de Deus.

DIA 11 – Tema – Discipulado – “Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que estarei convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” Mt 28 19-20. Trabalhar o tema, mostrando que temos que, além de evangelizar, temos que ensinar o novo convertido, para que ele cresça na fé.

DIA 12 – Tema - Dons espirituais – Ler 1Co 12. 1-11. Trabalhar o tema, mostrando que os dons do Espírito Santo estão em plena evidencia na vida da Igreja nos dias atuais. Jesus é o mesmo – He 13.8.

DIA 13 – Tema – Santificação – “Como é santo Aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver” 1Pe 1.15. Trabalhar o tema, mostrando para a igreja que Deus nos quer Santos. Esse é o desejo de nosso Pai Celeste – 1Ts 4.3.

DIA 14 – Tema – Contribuindo com a obra do Senhor – “E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com abundancia e, abundancia também ceifará. Cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria” – 2Co 9. 6,7. Trabalhar o tema sobre as contribuições para a obra do Senhor, mostrando os dízimos e as ofertas também, estão dentro do plano de Deus para abençoar a cada um de nós.

DIA 15 – Tema – Tomando posse das promessas de Deus – “Porque todas quantas promessas há de Deus, são nele o sim, e por ele o Amém, para a gloria de Deus por nós” 2Co 1.20. Trabalhar o tema, baseado nas muitíssimas promessas de nosso Deus para o seu povo. Temos cerca de 8 mil promessas na Bíblia. Um “não temas” para cada dia do ano. Vamos nos apossar dessas preciosas promessas.

OBSERVAÇÃO

O templo Central, as congregações e as igrejas filiadas, estarão conjuntamente fazendo essa campanha.
Os Coordenadores passarão para os dirigentes, como será feita a campanha nas congregações, e os pastores dos campos farão cada um na igreja onde trabalha.
Todos os dias, de 04 até 15 de janeiro de 2016, estará um grupo de irmãos de cada igreja, em consagração, e as noites, haverá cultos temáticos. Somente nas sextas feiras, que não haverá nas congregações, somente no templo central. Quem quiser fazer a campanha deverá vir para o templo central, onde vamos abordar o tema da campanha.
Lembrando a todos, que em todo culto, deve-se tirar pelo menos meia hora de oração.



Pr Daniel Nunes da Silva – pastor presidente da IEADCG e COMEAD-CGPB.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

O QUE FALEI SOBRE ARMINIANISMO NA ABERTURA DO NÚCLEO DE ESTUDO NA AD EM CAMPINA GRANDE


Nasci arminiano sem saber

Eu sou arminiano de nascimento, mesmo, muito antes de saber o que era ser um arminiano. Nasci crendo que Jesus quer salvar a todos os pecadores, mesmo sabendo que nem todos serão salvos. Mas a culpa não é do Salvador, mas do homem que rejeita a tão graciosa salvação oferecida gratuitamente por Deus. Por isso mesmo, eu não tinha nenhuma vocação para seguir outra linha evangélica a não ser o arminianismo.
Versículos como: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16); “E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lc 9.23); “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mt 11.28); “Que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade” (1Tm 2.4); “Porque para isto trabalhamos e lutamos, pois esperamos no Deus vivo, que é Salvador de todos os homens, principalmente dos fiéis” (1Tm 4.10) e uma série de outros, me davam base para crer no desejo de Deus em salvar o mundo inteiro de fato, e não apenas para querer impressionar a todos e salvar alguns.
Outro fato que fez crer no desejo de Deus em querer salvar a todos os homens, foi à figura do meu pai terreno. O meu pai, pastor Sebastião Nunes da Silva, foi sem dúvida o melhor pai do mundo. E não é por se tratar de meu pai não. Ele de fato era um mar de amor. Corrigia aos filhos, mas sempre no intuito de velos acertarem o caminho que os levaria a vitória. Pensava eu: Se meu pai, terreno, pecador, finito, tem todas essas característica de bondade e desejo de ver todos seus filhos salvos, imagina Deus, nosso Pai celeste! Cada vez mais me tornava um arminiano sem nunca ter lido sobre Jacó Armínio.





Também nasci pentecostal

Com três meses de idade, minha mãe já me levava para as vigílias. Esses trabalhos eram realizados em barracões feitos de lonas e madeiras no interior do Paraná. Por causa do frio, no chão se colocava serragem, para ficar mais macio e quentinho para se ajoelhar. Cresci ouvindo barulhos de gloria a Deus, aleluia, muitos louvores e línguas estranhas. Logo me apaixonei pelo livro de atos dos apóstolos. Disparadamente o livro da Bíblia que mais li em toda a minha vida. Desde muito cedo já falava em línguas concedidas pelo Espírito Santo.
Arminianismo e pentecostalismo: uma mistura que desde o principio da igreja deu muito certo. Pedro pensava que Jesus somente queria salvar os judeus, até que teve a revelação no porto de Jópe (At 10.10-15,34-48). Nessa leitura podemos aprender duas coisas simultaneamente: Que Deus quer salvar a todos, e, que o salvo de qualquer nação pode ser batizado com o Espírito Santo e falar em outras línguas.

Vendo o arminianismo de perto

Quem foi Jacó Armínio? Holandês, de uma inteligência rara e privilegiada e uma fé inabalável. Nasceu em 1560 e viveu até 1609. Faleceu com 49 anos de idade, e, seu biógrafo relata que mesmo em meio a dores agudas, ele não perdia a alegria de sempre. Na hora de sua morte, entregou seu espírito a Deus, enquanto cada um dos espectadores exclamava dizendo: “Oh minha alma, permita que eu morra a morte dos justos”. Armínio morreu, mas deixou um enorme legado para as gerações futuras.


FAMILIARIZANDO COM AS PALAVRAS


1.     Arminianismo. Sinônimo de teologia arminiana. Não é um movimento, mas uma perspectiva acerca da salvação. Não há uma sede do arminianismo, pois não está associado a nenhuma organização. Sempre que for usado o termo arminianismo, significará aquela forma de teologia que rejeita a eleição incondicional (e, principalmente a reprovação incondicional), expiação limitada e graça irresistível. O Arminianismo afirma que pelo seu caráter, Deus é compassível, possuindo amor universal por todo o mundo e todos no mundo, e concedendo livre arbítrio restaurado pela graça para aceitar ou rejeitar a graça de Deus, o que conduz a salvação eterna ou a perdição eterna.

2.     Arminiano. Aqueles que seguem a teologia cristã defendida por Jacó Armínio. Há dois tipos de arminiano: Os arminianos de cabeça e os de coração.

Os arminianos de Cabeça dão ênfase no livre arbítrio fundamentado na razão, negam a depravação total do homem, e negam também a necessidade da graça sobrenatural para a salvação. Tornaram-se pelagianos ou semipelagianos.
Os arminianos de coração são os originais, vindo de Armínio, de Wesley e dos primeiros remonstrantes. Eles não negam a depravação total, e ensinam a necessidade da graça primária, preveniente para a primeira boa vontade para com Deus.

3.     Sinergismo evangélico. É a doutrina cristã de que, através da graça preveniente, o homem, após ter o livre arbítrio liberto, pode ser cooperante na salvação; quer dizer: pode escolher em aceitar ou rejeitar a graça de Deus.
O sinergismo é uma doutrina que já era ensinada pelos pais da igreja. Orígenes de Alexandria, que viveu no II e III Século da era cristã, considerava o processo da salvação sinérgico, enfatizando a livre participação da pessoa humana e também a total necessidade da graça de Deus na salvação. Para Orígenes, a graça de Deus permite ao ser humano dar uma resposta, não coagida, mas sim espontânea a salvação oferecida por Deus.
Quando falamos do sinergismo evangélico, é porque existe o sinergismo herético ensinado por Pelágio da Grã-Bretanha, nascido em 350, que negava o pecado original, e elevava de tal maneira as habilidades humanas, a ponto de ensinar que o homem podia, por si só, viver uma vida de santidade completa.

Norman Geisler, em seu livro Eleitos, mas livres, escreve dizendo: “A graça de Deus opera sinergicamente com o Livre Arbítrio. Isto é, a graça deve ser recebida para ser eficaz; Não há quaisquer condições para que a graça seja dada, mas há uma condição para que ela seja recebida – a fé. Em outras palavras, a graça justificadora de Deus trabalha cooperativamente, não operativamente. A fé é a pré-condição para se receber o dom da salvação” (P. 276).

4.     Graça preveniente – Graça que precede e capacita os primeiros indícios de uma boa vontade para com Deus. William Burt Pope dá-nos talvez a melhor e mais completa ideia da obra do Espírito através da graça preveniente, definindo-a: “como a única e eficiente causa de todo bem espiritual no homem: do começo, da continuação e da consumação da religião na alma humana. A manifestação da influência divina que precede a plena vida regenerada, não recebe nenhum nome especial na Escritura, mas ela é descrita de tal maneira que garante a designação usualmente dada a ela de Graça Preveniente”.
Roger E. Olson, em seu livro Teologia Arminiana, Mitos e Realidades, escreve: “A graça preveniente é a doutrina arminiana essencial, que os calvinistas também acreditam, mas os arminiano interpretam-na diferentemente. A graça preveniente é simplesmente a graça de Deus convincente, convidativa, iluminadora e capacitadora, que antecede a conversão e torna o arrependimento e a fé possíveis” (P. 45).

5.     Monergismo: Ao contrario do Sinergismo, o monergismo significa principalmente que Deus é a única agencia determinante na salvação. Não há cooperação entre Deus e a pessoa que está sendo salva. O grande problema dos monergistas, que dizem que todas as coisas estão sob o rígido controle de Deus, e é Ele que determina tudo de antemão, é explicar se foi Deus que fez que Adão pecasse. Quer dizer, foi Deus o causador do pecado? Porque, se foi Deus o causador do pecado, então Adão não tem culpa alguma, simplesmente ele fez o que já estava determinado.
6.     Remonstrantes: Foram chamados de remonstrantes, cerca de 43 teólogos, que após a morte de Armínio, apresentaram em 1610 para uma conferencia de líderes da igreja e do estado em Gouda, Holanda, para explicar a doutrina arminiana. O foco principal estava na doutrina da salvação.

      Vou repassar, assim como Roger Olson escreveu em seu livro, Teologia Arminiana, mitos e realidades.
1.   Que Deus, por um decreto eterno e imutável em Cristo antes que o mundo existisse, determinou eleger, dentre a raça caída e pecadora, para a vida eterna, aqueles que, através da graça. Creem em Jesus Cristo e perseveraram na fé e obediência; e que, opostamente, resolveu rejeitar os inconversos e dos descrentes para a condenação eterna (Jo 3.16).
2.   Que, em decorrência disto, Cristo, o Salvador do mundo, morreu por todos e cada um dos homens, de modo que Ele obteve, pela morte na cruz, reconciliação e perdão pelo pecado para todos os homens; de tal maneira, porém, que ninguém senão os fiéis, de fato, desfrutam destas bênçãos (Jo 3.16; 1Jo 2.2).
3.   Que o homem não podia obter a fé salvífica de si mesmo ou pela força de seu próprio livre-arbítrio, mas se encontrava destituído da graça de Deus, através de Cristo, para ser renovado no pensamento e na vontade (Jo 15.5).
4.   Que esta graça foi a causa do inicio, desenvolvimento e conclusão da salvação do homem; de forma que ninguém poderia crer nem perseverar na fé sem esta graça cooperante, e consequentemente todas as boas obras devem ser atribuídas à graça de Deus em Cristo. Todavia, quanto ao modus operandi desta graça, não é irresistível (At 7.51).
5.   Que os verdadeiros cristãos tinham força suficiente, através da graça divina, para enfrentar Satanás, o pecado, o mundo, sua própria carne, e a todos vencê-los; mas que se por negligencia eles pudessem se apostatar da verdadeira fé. Perder a felicidade de uma boa consciência e deixar de ter essa graça, tal assunto deveria ser mais profundamente investigado de acordo com as Sagradas Escrituras.


Sendo assim, amados, nós mostramos para os amados alunos, que de fato, Deus quer salvar a todos os homens, e que o plano de Deus está em Cristo. Tudo em Cristo, tudo nele, e sem Ele não há salvação (At 4.12).

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

EU COMEMORO O NATAL DE JESUS



Deus, o Pai Todo-Poderoso, que segundo Jó 22.14, passeia pelo circuito dos céus, havia prometido: “E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a sua semente; esta lhe ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” – Gn 3.15. A fidelidade de Deus é sem fim. Aquilo que ele prometeu, cumpriu-se com o nascimento de seu Filho Jesus Cristo. Paulo, escrevendo aos Gálatas disse: “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” – Gl 4.4.
Isaias 42.1, parece sugerir, que houve um dia, em que Deus sai na sacada do céu, e diz: “Eis aqui o meu Servo, a quem sustenho, o meu eleito, em quem se compraz a minha alma, pus o meu Espírito sobre ele; juízo produzirá entre os gentios”. O Pai apresenta o filho em seu nascimento. Foi um dia lindo! Foi um dia, onde a terra de Israel, precisamente Belém de Judá, estava preocupada em recensear seus moradores, mas, Deus estava pronto para começar a escrever nomes no livro da vida, pois, o Caminho estava chegando para dar oportunidade aos homens de chegarem até Deus. Esse dia, quem sabe não foi notado pela terra. Mas, os céus estavam em festa. Lucas registra umas das cenas mais lindas que nossos olhos poderiam ver, narra ele: “No mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus e dizendo: Gloria a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!” – Lc 2. 13,14.
Foi um dia para se tornar inesquecível. Naquele momento, um menino nascia, para se cumprir as profecias do profeta Isaías, profetizado cerca de setecentos anos antes. Foi um dia que satanás tremeu nas bases, porque até aquele momento, ele tinha visto nascer, Noé, Abraão, Isaque, Jacó, José, Moisés, Davi. Mas naquele dia ele viu nascer aquele que esmagaria a sua cabeça, como bem falou Paulo, se referindo à promessa de Deus: “E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo de vossos pés.”  - Rm 16.20.
É bem verdade que ninguém sabe ao certo o dia que Jesus nasceu. Porém, o mais importante não é saber a data, mas saber e crer que ele nasceu. Se ele nasceu, como de fato nasceu, então eu preciso comemorar. Não comemorar somente porque ele nasceu em Belém da Judéia, mas, porque Ele também nasceu em meu coração. Como no mundo cristão ficou estabelecido o dia 25 de dezembro para lembrarmos com festa, com alegria, com cânticos e salmos o nascimento deste que é a maior personalidade de toda historia da humanidade, então eu comemoro.
Comemoro independentemente daqueles que dizem que é idolatria. Idolatrar é prestar culto, é inclinar-se diante daquilo ou daquele que entendemos que é Deus. Pois bem, então, eu me prostro diante daquele é Deus, Senhor, Rei, Soberano, Todo-Poderoso, acima de tudo e de todos, Jesus; a semente da mulher, o cordeiro pascal, o sacrifício perfeito, o profeta maior que Moisés, o Capitão invencível, o Juiz de toda a terra, a Pedra de Ajuda, o descendente de Davi, enfim, aquele que veio para trazer salvação a todos os homens. E o dia? O dia não importa! Poderia ser 01 de janeiro, 28 de fevereiro, 10 abril, isso é o que menos importa. O que importa mesmo e que Ele nasceu. Gloria a Deus nas maiores alturas e paz na terra e boa vontade para com os homens. Você pode cantar comigo?
FELIZ NATAL

Campina Grande, 24 de dezembro de 2015


Pr Daniel Nunes da Silva

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

ALCANÇANDO AS PROMESSAS ATRAVÉS DA FÉ

A fé, como diz o escritor aos Hebreus, é a certeza daquilo que esperamos, e a prova das coisas que não vemos. Do grego pistis, significa confiança plena em Deus. Confiança inabalável, mesmo que não estejamos vendo o final da estrada, mas sabemos quem está nos guiando. O salmista disse que os que confiam no Senhor, serão como montes de Sião que não se abalam, mas permanecem para sempre.
Abraão foi chamado para ir a uma terra que não sabia que lado ficava. Se ao norte, ao sul, ao leste ou oeste. Não tinha mapa nem bússola. Não tinha direção terrena, mas tinha a direção de Deus. Saiu exclusivamente pela fé.
Antes que as coisas acontecessem na vida do velho patriarca, ele já tomava posse pela fé. O Senhor Deus Todo-poderoso, fez promessas a Abraão. Disse Deus: “Far-te-ei uma grande nação”. Parecia impossível aos olhos carnais. Abraão já era velho e sua esposa também. Mas, promessa de Deus, é promessa cumprida. Abraão creu no Senhor, e com cem anos de idade abraçou a promessa. Nasceu seu filho Isaque, que significa riso.
As promessas de Deus se cumprem e nos faz sorrir. Haverá um tempo de alegria, de gozo em tua vida se você crer. Teu Isaque vai nascer. A alegria vai chegar, basta apenas crer.
A fé é o elo entre o crente e Deus. Não há como nos aproximar de Deus sem fé. Assim como os vagões do trem sem a locomotiva não saem do lugar, é o ser humano sem fé. Ele não consegue dar nenhum passo em direção a lugar nenhum. A fé move a mão de Deus. A fé remove montanhas. A fé nos coloca em lugares humanamente impossíveis. A fé me leva a entender coisas e mistérios que ninguém jamais entenderá.
Maria, ao ouvir a voz do anjo, que ela seria a mãe do Salvador, perguntou: “Como será isso, pois não tenho relação com homem algum?”. O anjo lhe respondeu: “Descerá sobre o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus”. Maria não fez mais perguntas, apenas creu. E por ela crer, a promessa se cumpriu em sua vida.
Basta somente crer nas imutáveis promessas do Senhor. Não é uma crença claudicante, que hoje crê e amanha não crê. Devemos crer, mesmo que as circunstancias pareçam desfavoráveis. Mesmo que os ventos soprem contrários. Devemos saber que nosso Deus não falha. Se Ele falou é somente crer e esperar!


 Pr Daniel Nunes

sábado, 28 de novembro de 2015

SER UM VERDADEIRO HOMEM DE DEUS NÃO É PARA QUALQUER UM



Mas tú, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, a caridade, a paciência, a mansidão” – 1Tm 6.11

Que nome lindo é esse de homem de Deus. Além de bonito, é realmente o nome mais importante que alguém pode receber aqui na terra. O nome mais bonito, mais lindo, não o de doutor, senador, presidente, empresário, não, o maior e melhor nome é o de homem de Deus.
Muitos tentam, mas não consegue. Outros fingem que são, mas não são. Porque ser homem de Deus, não é apenas na aparência, mas no espírito encoberto: “Tendo a aparência de piedade, mas negando a eficácia dela” – 2Tm 3.5.
Ser homem de Deus, não é para aquele que o povo diz que é, mas aquele que de fato, no seu amago, no seu interior sabe que é. O povo se engana muito. Engana-se com a aparência, com o discurso, com as belas pregações, com a filosofia, com as belas retóricas.
Ser homem de Deus, não é ser querido por todo mundo. Muitos homens de Deus foram os mais rejeitados, vilipendiados, exatamente por suas mensagens. Pois os verdadeiros homens de Deus, não de afinam com pecados alheios. Não passa a mão por cima de pecados de ninguém, por isso mesmo são massacrados.
Se o homem de Deus, o profeta Jeremias, profetizasse paz, como os demais profetas, ele seria carregado nos braços, mas ele falou o que Deus estava mandando falar, por isso mesmo foi lançado no calabouço. Porém, melhor estar no calabouço, falando o que Deus manda, que estar no palácio falando o que o povo quer ouvir. O que Deus quer falar cura o povo. Diferentemente do que o povo quer ouvir, que somente traz perdição e ruina. Escutemos o que Paulo nos diz: “Conjuro-te pois diante de Deus, e do nosso Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a Palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas” – 2Tm 4.1-4.
Temos hoje, muitos pregadores de fábulas. Muitos que se dizem homens de Deus, mas apenas sabem entreter o povo com fábulas e palavras vãs. Palavras que enchem e massageia os seus egos. Muitos falsos profetas, dizendo para homens e mulheres, carregados de pecados e inveja no coração: “tu és homem, tu és mulher de Deus”. Profetinhas de plantão, ambiciosos, anelantes por ganharem nome, fama e dinheiro fácil, de um povo que não que ouvir a verdadeira Palavra de Deus, porque, a verdadeira Palavra confronta, exorta, puxa o ser humano para o lugar certo, e essa geração, está como Ló, o sobrinho de Abraão quando era tirado para fora de Sodoma, e gritava para o anjo: “Assim não Senhor”. Não querem ser tirados para fora do pecado! Fartam-se com o manjar do rei e com seus finos licores. Uma geração inchada, enferma, como disse Paulo: “Por causa disso, há entre vós, muitos fracos e doentes e muitos que dormem” – 1Co 11.30.
Ser homem de Deus não é para qualquer um. Em todo tempo, desde que Deus fez o mundo, há àqueles que tentam ser homens de Deus, pensam que são homens de Deus e os que verdadeiramente são homem de Deus.
O verdadeiro homem de Deus é diferenciado em sua postura. Da mesma forma que Deus tem ojeriza ao pecado, o homem de Deus também. Da mesma forma que Deus é Santo, o homem de Deus persegue a santidade como uma joia de raro valor. Finalmente o homem de Deus, ama o mundo como Deus amou o mundo, no anseio de ver almas salvas e libertas pelo sangue de Deus, mas não se conforma com o mundo, nem se apega a esse mundo, nem valoriza as coisas desse mundo, como se fossem coisas eternas.
O verdadeiro homem de Deus trata o pecado e os pecadores, como Deus trata. Disse Jesus ao homem após ter sido curado: “... não peques mais, para que te não suceda alguma coisa pior” – Jo 5. 14. Há muitos, que para ganharem amigos, passarem por bons estão recebendo o pecador e dizendo: “Fica como estás, Deus te aceita assim mesmo. Ele te entende!, Ele te ama tanto que não vai te levar para o inferno, pode continuar no pecado, na prostituição, na traição”. É um faz de conta que serve a Deus, e um faz de conta que é salvo que não tem limites.
 O verdadeiro homem de Deus, sempre vai confrontar o pecado. Jamais vai aceitar que o pecado permaneça no arraial dos santos. Ele vai sempre lutar para que o povo de Deus seja santo e separado para o uso exclusivo de Deus.

É amado: ser homem de Deus não é para qualquer um, mas você pode e deve querer ser homem de Deus. Ore ao Senhor de todo o teu coração. Diga a Ele que você quer ser um verdadeiro homem de Deus. Se precisar mudar de atitudes, mude. Se precisar tirar alguma coisa de sobre si, tire. Se precisar, pagar um preço mais alto na oração, pague. Se precisar abrir mão de alguma coisa, abra. Se precisar descer um pouquinho da sua soberba, do seu orgulho, desça. Enfim, aquilo que precisar fazer par ser um verdadeiro homem de Deus, faça, porque o melhor nome, o nome mais importante que podemos receber nessa terra, e o de ser UM VERDADEIRO HOMEM DE DEUS, UM SERVO DO SENHOR.

terça-feira, 17 de novembro de 2015

PARTIU PARA A ETERNIDADE O CANTOR LUIS DE CARVALHO

Um dos cantores mais queridos do Brasil. Pioneiro do verdadeiro louvor que agrada aos ouvidos santos de nosso Deus, o cantor Luis de Carvalho, partiu para estar com o Senhor, na madrugada desta terça feira, precisamente as 4.30 da manhã. Sem dúvida deixa um grande vazio no cenário da verdadeira música evangélica, pois vivemos dias onde os cantores viraram artistas, e o comercio é a mola mestra daqueles que se dizem cantores.
Luis de Carvalho nunca desejou fama, mas foi um dos cantores mais queridos, principalmente nos anos 60 a 80. Juntamente com Feliciano Amaral, Oséas de Paula, entre outros, escreveu uma linda história que jamais será apagada.
Hinos como "Obra santa do Espírito", "Estou procurando a ovelha", Alvo mais que a neve" tinham um som diferenciado na voz desse gigante do louvor a Deus. A terra ficou mais pobre, mas o céu ganhou um vencedor. Aleluia pelos 90 anos bem vividos como um servo de Deus.

sábado, 14 de novembro de 2015

RESTAURA-NOS, COMO AS TORRENTES NO NEGUEBE


Salmo 126. 4

O que é restaurar? Restaurar tem seu sentido etimológico no latim (restaurare). Como v.t.d. tem o sentido de voltar a possuir algo que foi perdido; recuperar. Possuir um novo inicio; começar mais uma vez; recomeçar. Transmitir forças (vigor) a alguém ou a si mesmo; reanimar-se.

Quem já não precisou de restauração alguma vez? Seja de restauração das forças físicas, psíquicas, emocionais, espirituais. Todos, em algum momento da vida precisamos de restauração.

O povo judeu foi levado cativo para a Babilônia por Nabucodonosor, lá por volta de 597 A.C. E por ordem de Ciro, que Deus o chama de meu servo, eles voltam no ano 538.
O Salmo 137 relata bem o desanimo que abateu sobre todos eles, quando estavam em terras estranhas. “As margens dos rios de Babilônia, nós nos assentávamos e chorávamos, lembrando-nos de Sião”. “Nos salgueiros que lá havia, pendurávamos as nossas harpas”.

O Profeta Jeremiais descreve o estado de Jerusalém, bem como o estado do templo quando os invasores entraram na cidade: “Como escureceu o ouro! Como se mudou o ouro refinado! Como estão espalhadas as pedras do santuário pelas esquinas de todas as ruas!” (Lm 4.1).

Tudo isto mostrava a necessidade de uma urgente restauração. Os muros tinham de ser erguidos, e o templo precisava ser reedificado. Como de fato aconteceu com a volta de Esdras Neemias, Zorobabel e o sumo sacerdote Josué.

 Ageu prenuncia: “A gloria dessa última casa, será maior do que a da primeira (Ag 2. 9). Isso fala de restauração. Uma casa outrora destruída, agora reconstruída, reedificada, refeita, com uma maior glória.

Restaura-nos como as correntes do Neguebe. Região seca, insólita, desértica, desprezada. Mas, quando as chuvas caíam nos montes próximos, os vales se enchiam de riachos e rios. Tudo era restaurado!

As águas desciam com muita força, arrastando tudo que tinha pela frente. As águas do Espírito, que descem do alto, vai arrastar tudo aquilo que está estorvando a tua vida.

Havia uma vocação oculta para jardim no desértico Neguebe. Há uma vocação poderosa em você para produzir frutos para Deus. É somente deixar que as águas poderosas do Espírito Santo regue sua vida (Jo 7.37-39).

O Neguebe não tinha vida em si mesmo.  Ele dependia das chuvas dos montes do Líbano. O crente não tem vida própria, ele depende totalmente de Jesus (Jo 15.4,5).

No Salmo 80, o Salmista pede três vezes que o Senhor restaure o seu povo. Nos versos 3, 7, 19. No verso 18 ele pede: “Vivifica-nos e invocaremos o teu nome”. Vivificar fala de pessoas que estão em estado de morte. Mas, Deus, que é poderoso, pode transformar um vale de ossos em um grande exército.

O Senhor quer restaurar a tua vida, os teus sonhos, os teus projetos, o teu amor por Cristo, a tua vida espiritual, os teus talentos e dons. Apresenta-te como o salmista e diga: “Restaura-nos como as torrentes de Neguebe”.



Pr Daniel Nunes da Silva

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PRECISAMOS DE RENOVAÇÃO E NÃO DE INOVAÇÃO



São tantas inovações que vemos e ouvimos hoje em dia oculta sob o manto pentecostal, que muito me preocupa. Tantas bizarrices, crendices, tolices, meninices, e um tanto de ices que não sabemos onde tudo isso vai parar.

Falsos profetas que dizem estar falando em nome de Deus sem nenhum escrúpulo. Falam, como se Deus fosse manobrado por eles. O pior de tudo é ver o povo, que deixa de observar a Palavra, para seguir após esses profetinhas de plantão, que, cada vez que vão orar, tem que ter uma profetada, senão o povo deixa de segui-los. Quanta infantilidade misturada com carnalidade! O problema é que essa qualidade de pseudoprofeta, fala apenas o que o povo quer ouvir. Ninguém está disposto a ser como Jeremias, que mesmo sendo ameaçado, continuou falando a Palavra do Senhor.

Tem igrejas por ai derramando latas de azeite no povo.  Quanto mais derrama azeite, mais o povo está se afastando de Deus. Veja o que diz o Senhor através do profeta Miquéias: “Agradar-se-á o Senhor de milhares de carneiros? De dez mil ribeiros de azeite?” (Mq 6. 7). A falta de conhecimento da Palavra de Deus é que leva o povo, mesmo dizendo crentes, ou evangélicos (como gostam de ser chamados hoje em dia) a serem tão idólatras quanto àqueles que adoram imagens de esculturas. Deixaram de adorar os santos católicos, para adorar a água do rio Jordão, as supostas pedras da sepultura de Jesus, o azeite trazido de Israel, o sal grosso, a rosa “ungida”, a caneta “abençoada”, o lençol orado, e por ai vai.

Como se não bastasse tudo isso, há ainda, aqueles que dizem que deixaram o emprego, a faculdade, a empresa para “viverem pela fé”. O pior de tudo, é que esses espertalhões, sempre acha um pastor mais tolo do que eles, para pagar seus cachês, e entregar-lhes o púlpito, para fazer o seu circo. E, essa prática tem crescido muito nos dias atuais. Eles têm uma prática muito comum entre si: um indica o outro em seus estados. Tornou-se uma rede nacional desses pregardorzinhos, que muitos deles não frequentam igreja nenhuma. Não ouvem cultos de ensinamento. Somente querem estar nos cultos que eles são as estrelas. Por isso mesmo são orgulhosos, prepotentes, mal educados, bajuladores de pastores, presenteadores para ganhar espaço nas igrejas. Nunca passaram pelos estreitos do ministério. Nunca tiveram experiências com Deus. Dizem que vivem pela fé, mas na verdade, vive de comercializar a Palavra de Deus, porque para onde quer que vá, é a custa do dinheiro dos pobres crentes. Não pensam em almas, e se pensam, é apenas para fazerem seus comerciais: Eu fui a tal lugar e tantos aceitaram a Jesus, tantos foram batizados, etc.

Pastores, onde é que vamos parar? Será que nunca vamos ouvir a voz de Deus dizendo: “Quem me dera que não acendesse debalde o fogo no meu altar!” Até quando pastores, estaremos aceitando essa qualidade de homens e mulheres, sem nenhum compromisso com Deus e sua igreja, desfilarem em nossos púlpitos? Eu não suporto mais tal coisa. Pregadores que torcem a Palavra a seu bel prazer. Usam a Bíblia para seu próprio deleite. Desses tais falou Judas: “Esses são manchas em vossas festas de caridade, banqueteando-se convosco e apascentando-se a sim mesmos sem temor: são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte: são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas” (Jd 12).

Mas ainda tem coisas piores, como disse Deus ao profeta Ezequiel: veras coisas piores. Pois, uma quantidade desses que desfilam pregando e cantando nos púlpitos, fazendo multidões irem ao delírio emocional, são homens e mulheres carnais. Que jamais passaram pelo novo nascimento. Brigam por qualquer coisa. Terminam os cultos e vão para as mesadas, carregadas de muita carne, regadas de muito suco, refrigerante e até outras coisas mais que não é licito falar. Temos noticias que alguns e algumas se dão a prostituição e não se envergonham de estarem de Bíblia na mão e enganando o povo de Deus. Que tristeza! Que vergonha! Que decepção!

A igreja foi chamada para ser a coluna e o baluarte da verdade. Esse povo foi chamado para fazer a diferença no mundo, mas infelizmente, essa diferença não tem sido notada em muitos lugares. Precisamos urgentemente de um genuíno avivamento. Uma genuína renovação em nossa prática cristã, senão corremos o risco de sermos a moderna igreja de Laodicéia: morna e vomitada da boca do Deus Altíssimo.

Deus, tenha misericórdia do seu povo!



terça-feira, 10 de novembro de 2015

DIZEI A ARQUIPO

E dizei a Arquipo: Atenta para o ministério que recebeste no Senhor: para que cumpras” – Cl 4. 17.
No interior úmido da prisão romana estava o grande missionário da cruz, o apóstolo Paulo. Seus dias estavam contados, e ele sabia, que dentro de pouco tempo, o carrasco viria para leva-lo ao patíbulo, onde ele entregaria sua vida como aspersão de sacrifício ao seu Senhor. Bem que Paulo poderia estar lamuriante, queixoso e desiludido da vida. Mas, por mais incrível que pareça, ele estava firme, resoluto e pronto para ajudar seus companheiros nas lutas e no reino de Deus.
Escreve, alertando a igreja de Colossos e de Laodicéia sobre o perigo do culto aos anjos, e demais crendices judaicas que estavam sendo ensinadas por falsos mestres nas referidas igrejas. Mas, o que me chama a atenção, é que em meio a tantas lutas, canseiras e desgostos, Paulo não se esquece de seus companheiros. Ele faz referencias a alguns deles, e, quando chega o momento de falar sobre Arquipo, recomenda aos que lessem a carta, que lembrassem a ele, em atentar para o ministério que havia recebido no Senhor.
Paulo sabia do valor ministerial. Sabia que quem chamava para o ministério não era homem, mas sim o Senhor Jesus. Foi Ele que deu dons ministeriais aos homens. É Ele que comissionou aos apóstolos, comissionou a Paulo, e continua comissionando seus ministros nos dias atuais.
Entendo que o conselho de Paulo para Arquipo, vale para todos nós obreiros nos dias atuais. Quantos que estão tratando o ministério como algo sem valor? Quantos, que trocam, assim como Demas, a chamada pelo presente século, isto é, por coisas banais e passageiras?
Companheiros, vamos atentar com mais diligencia para nossa grande responsabilidade ministerial. Vamos nos engajar cada vez mais na obra de Deus, fazendo cada vez melhor nosso serviço para Ele.
Que Deus nos ajude a cumprir nosso ministério!

Pr Daniel Nunes - presidente



quinta-feira, 5 de novembro de 2015

OS PECADOS DA LINGUA, E O USO APROPRIADO DA MESMA


Introdução: Haverá neste mundo outras coisas tão potentes para o bem ou para o mal como as palavras? (Pv 18. 20,21). A fala é a faculdade que distingue os homens dos irracionais. É um sinal de personalidade. O subconsciente se manifesta através da fala. “A fala antecede a ação, como o relâmpago antecede o trovão” (Heine). O caráter  é revelado pela linguagem empregada pelo individuo (Lc 6.43-45).

UMA LINGUA PECAMINOSA É:

  1. blasfema (Ef 4.31);
  2. Sepulcro aberto (Sl 5.9);
  3. Maliciosa (Sl 10. 7; 36.3; Pv 24. 2);
  4. Espadas nuas (Sl 55.21; Pv 12.18);
  5. Abominável (Pv  12.22);
  6. Como de uma víbora (Mt 12.34);
  7. Enganosa (Rm 3.13);
  8. Maldita (Rm 3.14);
  9. Iníqua (Tg 3.6);
  10. Está inflamada pelo inferno (Tg 3.6);
  11. Mentirosa (Pv 12.19)

CONSELHOS DA PALAVRA SOBRE A LINGUA

  1. Guardar a língua do mal (Sl 34.13);
  2. Guardar a boca (Pv 13.3; 21.23);
  3. Refrear a língua (Tg 1. 16; 1Pd 3.10);
  4. Não pecar com a língua (Sl 39. 1);
  5. Cuidado com torpeza de língua (Ef 5.4);
  6. Cuidado com a língua dobre (1Tm 3.8);
  7. Cuidado para não falar o que não convém (1Tm 5.13).

A LINGUA QUE DEUS CONDENA

  1. Língua mexeriqueira (Lv 19.16);
  2. A língua praguejadora (Pv 11.13);
  3. A língua que renova as questões (Pv 17. 9);
  4. O linguareiro falso (Pv 18. 8);
  5. A língua maldizente (Pv 20.19; 26.20);

 A LINGUA QUE AGRADA A DEUS

  1. Língua consoladora (Jó 16. 5);
  2. Língua que fala justiça (Sl 35.28);
  3. Língua do sábio (Pv 12.18b);
  4. Língua saudável (Pv 15.4);
  5. Língua que canta louvores a Deus (Is 35.6);
  6. Língua erudita, instruída (Is 50.4);
  7. Língua que confessa Jesus como Senhor (Fl 2.11);
  8. Língua sadia (Tt 2.8).


Conclusão: O rabino Simeão, filho de Gamaliél, disse  a seu servo: Vai ao mercado e me traga o melhor dos alimentos; o seu servo foi e trouxe línguas. Noutra ocasião disse ao mesmo servo: vai e traga algum alimento ruim; o servo foi e trouxe línguas. E o mestre lhe perguntou: Por qual razão ele havia trazido línguas como bom e como ruim alimento, e o servo lhe retrucou: “O homem faz o bem e faz o mal com a língua; se fizer o bem, nada há de melhor; se fizer o mal,  nada há de pior”



Pr. Daniel Nunes

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Lembrando-se do Criador


Lembra-te do teu Criador nos dias tua mocidade” Ec 12.1

Lembrar é trazer a memoria, recordar de alguma coisa.
1.   O texto do sábio Salomão nos exorta a lembrarmos de nosso Criador ainda nos dias de nossa mocidade. Por quê?
a.       Porque o Jovem, com raras exceções, não se preocupa com o futuro. Para eles o que vale é o presente: muita força, jovialidade, rostos bonitos, memoria fantástica, resistência, etc.
b.      Porque os mais velhos, por tudo que já passaram: lutas, dissabores, doenças, problemas familiares, problemas financeiros, etc. têm uma tendência natural de lembrar-se de Deus. Pois na hora dos apertos, somente Deus para nos socorrer!
c.       Porque todos vão, de uma forma paulatina, lenta, envelhecendo, até ir a eterna casa.

2.   Nossa vida é uma casa em constante construção. Podemos dizer que os anos da juventude é o alicerce dessa casa.
Equivale dizer, que aquilo que fazemos na juventude, vai repercutir em toda nossa vida. Se fizermos bem feito o alicerce, toda casa estará segura, caso contrario teremos uma construção cheia de rachaduras, e, como um construtor que passa a vida fazendo remendos em uma construção mal feita – “Nota o homem sincero e considera o que é reto, porque o futuro desse homem será de paz” – Sal 37.37. Tomemos alguns exemplos Bíblicos:
a.       José, filho de Jacó, decidiu lembrar-se de seu Criador. Decidiu que iria obedece-lo – Gn 37. 1,2; 20,21. O final todos sabemos: José se tornou o governador do Egito. Foi homem honrado, respeitado, e quando os filhos de Israel, foram libertos e voltaram a terra de Canaã, eles levaram consigo os ossos de José – Js 24.32.
b.      Samuel, filho de Ana e Elcana, aceitou voluntariamente, o voto que sua mãe tinha feito a seu respeito (Ele podia simplesmente ter rejeitado). Mas Samuel foi um jovem fiel a Deus. Diz o texto sagrado: “E crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra. E todo Israel, desde Dã até Berseba, conheceu que Samuel estava confirmado por profeta do Senhor” – 1Sm 3.19,20.
c.       Daniel decidiu ser fiel ao seu Deus e não se contaminar com os manjares do rei da Babilônia – Dn 1.8. Além de todos os livramentos que Deus lhe deu, os altos cargos que ocupou no reinado de Nabucodonosor e dos outros reis que lhe sucedeu, Daniel chegou a uma boa velhice e cheio do Espírito de Deus – Dn 5. 13,14.
d.      Temos exemplos de jovens que revolucionaram o mundo com a Palavra, porque se lembraram do Criador. John Weslley e seu irmão Charles, George Whitefield, entre outros.

3.   Você tem se lembrado do Criador? Como?
Sendo desobediente aos pais? Falando com Deus um minuto por dia? Participando de coisas que desagradam ao Criador? Falando e fazendo coisas que dessagram ao Senhor? Vindo para a igreja, mas, estando aqui apenas de corpo presente, porque a alma e o espirito estão distante daqui? Mais ligado no wat zap que nos céus?
Então vale a pena à exortação salomônica, “Lembra-te do teu criador”. Ele está todo tempo dizendo: Eu quero conversar contigo! Eu quero ser teu amigo! Eu quero guiar a tua vida! Eu quero dirigir os teus passos!

Fazendo assim, nunca vai chegar os anos que você ira dizer, não tenho prazer em minha vida. Porque, aqueles que fazem a vontade do Senhor, disse o Salmista: “Até na velhice darão frutos, e serão viçosos e florescentes” Sal 92.14.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

COMO É DIFÍCIL ORAR!



Passamos duas horas assistindo um filme, mas não queremos passar nem dez minutos orando.
Conversamos com nossos irmãos e amigos por horas a fio, mas, pouco tempo gastamos conversando com Deus.
Gastamos tempo comendo, a roda da mesa, mas não temos paciência de nos alimentar da presença do Senhor Jesus em oração.
Você pode até estar pensando que comigo é diferente, mas não é. Eu não estou te acusando, eu estou falando de minha própria realidade.
Estou falando da realidade do homem. Todos nós temos dificuldade no momento da oração.
Quando começamos, ou nos dispomos a orar, o telefone toca, a porta se abre, o filho chama, o cachorro late, a mente começa querer fugir para longe, querendo resolver problemas que não serão resolvidos naquele momento.
Geralmente surgem cansaços, fatigas, desejo de levantar e fazer outras coisas, que a carne julga mais importante. Quase sempre cedemos as tentações do velho homem e saímos da presença do Eterno.
Deus, em toda sua onipotência, paciente, está esperando que eu e você concentremos e falemos com Ele e nada mais. Mas as vozes exteriores, e interiores da nossa mente, nos impedem, obstaculizam a comunicação com os céus.
É sempre assim, o espírito pelejando contra a carne, e a carne pelejando contra o espírito, opondo-se um ao outro.
Quando vencemos essas barreiras, e, conseguimos parar e orar por mais um tempo, nossa alma se extravasa de alegria. Nosso homem interior é tonificado e nosso espírito se levanta com força para adorar ao Rei dos céus.
Sei que não é fácil, mas devemos nos esforçar para continuar orando. Orando em todo tempo. Orando sem cessar. Orando com toda oração e súplicas no Espírito.
Que o Espírito Santo nos ajude a orar!

Pr Daniel Nunes


quarta-feira, 30 de setembro de 2015

CARISMA E CARÁTER: QUESTÕES PRÁTICAS Marcadores: DONS ESPIRITUAIS, MINISTÉRIO E LIDERANÇA CRISTÃ, VIDA CRISTÃ


Postei essa mensagem escrita pelo pastor Altair Germano, nobre companheiro da convenção de Abreu e Lima, por comungar dos mesmos pensamentos quanto ao carisma. Muitas pessoas, por se acharem cheias do Espírito Santo, pensam que podem viver uma vida de pecado, inveja, ciumes, brigas, adultérios, e outras sortes de pecados mais. O que nos diz, se de fato somos cheios do Espírito Santo, e quando fazemos as coisas que o Espírito Santo se agrada. Ou melhor, aquilo que não venha entristecer o Espírito de Deus (Gl 4.30). Boa leitura!


Sansão casou com uma filisteia (Jz 14.1-9), coabitou com uma prostituta em Gaza (Jz 16.1-3) e se afeiçoou de Dalila (Jz 16.4), mas não perdeu a ação do Espírito que lhe dava forças, enquanto não teve o cabelo cortado.
Saul, rei reprovado por Deus, cheio de inveja e ódio contra Davi, juntamente com seus auxiliares profetizou (1 Sm 19.18-24).
Jesus afirmou ser possível profetizar, expulsar demônios, fazer milagres em seu nome, e mesmo assim não ser conhecido por ele como um crente salvo (Mt 7.15-23).
Na igreja em Corinto havia partidarismo (1 Co 1.10-17; 3.1-9), imoralidade sexual tolerada (5.1-5; 6.15-20), litígio entre irmãos (6.1-7), injustiças (6.8), idolatria (10.14-22), e apesar disso os dons manifestavam-se na igreja (12-14).
Conclusões óbvias:
A manifestação dos carismas (dons) não testificam a integridade de nosso caráter.
A manifestação dos dons na vida de um indivíduo em pecado não significa que Deus está aprovando a quebra dos princípios e fundamentos espirituais e morais estabelecidos nas Escrituras.
A manifestação abundante dos carismas numa igreja local não implica em que ela seja mais espiritual que outras por isso. É a maneira como a comunidade cristã vive em obediência a Deus que demonstra a verdadeira espiritualidade.
Há neste momento (e sempre houve) pastores, pregadores, mestres, profetas, cantores e irmãos em geral que se encontram em pecado espiritual e moral, e mesmo assim a manifestação do Espírito ainda é uma realidade em suas vidas e ministérios.
Não precisa ser um grande teólogo para perceber isso. Basta prestar atenção nas evidências bíblicas, na história e em nosso cotidiano.
Como isso é possível? Não vou me deter aqui em teologizar a questão, mas apenas em demonstrar as evidências dos fatos.
Em nome de Jesus, não se permita ser manipulado ou enganado por ninguém (nem engane a si mesmo) com base em fenômenos sobrenaturais, pregações inflamadas, profecias, variedade de línguas, curas, etc. Antes, observe o quanto o indivíduo ou a congregação (comunidade) é comprometid(o)a com a Bíblia.
Caráter e carisma precisam ser realidades presentes e indissociáveis em nossas vidas.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Papa diz que é necessário um líder mundial para "salvar" a humanidade

“A mudança climática é real e perigoso. É necessário um novo sistema de governo global para lidar com essa ameaça sem precedentes. Esta nova autoridade política seria responsável pela redução da poluição e o desenvolvimento dos países e regiões pobres” disse o Papa em uma carta dirigida aos bispos católicos, segundo publicou Indepent.

“As recentes cúpulas no mundo sobre o meio ambiente, não conseguiram atender às expectativas, já que, devido à falta de vontade política, não foram capazes de chegar a acordos globais verdadeiramente ambientais significativas e eficazes”, escreveu o Papa na encíclica.

Os cientistas dizem que as declarações do Papa são cruciais para promover um debate sobre a mudança climática, que não leva em conta as opiniões dos laboratórios e da moralidade. “Hoje a ciência tem provado para além de qualquer dúvida razoável”, disseram.

Alguns céticos do clima, rejeitaram suas declarações, que dizem que uma figura religiosa como o Papa deve ficar de lado para fazer declarações científicas.

Mas o professor Myles Allen, da Universidade de Oxford, disse: “O que eu acho mais desconcertante é a sugestão feita. Não tem porque falar sobre as alterações climáticas. Os críticos estão de acordo, em grande parte, com a corrente principal da ciência do clima.”

Francisco disse que, embora o documento é destinado principalmente a católicos, ele deseja que muitos outros possam ler também. É a primeira vez que uma encíclica é dirigida a todos, e membros de outras religiões se reuniram em torno da mensagem.

Via: http://padom.com.br/papa-francisco-diz-que-e-necessario-um-lider-mundial-para-salvar-a-humanidade/

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

É MOMENTO DE ORARMOS PELO BRASIL




No livro de 2ª Crônicas 7.14 está escrito: “E se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”. Estou ciente de que esse texto sagrado esta falando diretamente ao povo de Israel, e tem ligação direta com o que Deus já tinha dito a Moises, que quando o povo se afastasse de Deus, e Ele os punisse com toda sorte de maldiçoes, quando o povo voltasse para Ele, ele os perdoaria e lhe sararia. Isso ocorreu muitas vezes na época dos juízes, quando o povo prevaricava, Deus os punia, mas, quando clamavam ao Senhor, Ele levantava um libertador.
Porém, não podemos negar que tudo o que foi escrito, como disse Paulo: para nosso ensino foi escrito. Sem sombra de dúvida, a igreja tem à sua disposição uma gigantesca arma de guerra contra as forças do mal, que é a oração. Em momentos de crise como essa que passa o mundo, mas, falamos especificamente do Brasil, que passa crise ética, politica, financeira, espiritual, moral, faz-se necessário, que a Igreja do Senhor Jesus, se una em uma campanha de oração para que Deus venha mudar o quadro de nossa nação.
Os grandes problemas foram resolvidos em oração. Quando o rei Nabucodonosor chamou os magos e os astrólogos, para que eles contassem o sonho e sua interpretação, e eles não puderam fazer, Daniel e seus companheiros entram em cena, juntos  oraram e Deus revelou o sonho e sua interpretação. Quando a igreja estava sendo perseguida pelo sinédrio judeu, mandando matar os crentes, a igreja foi orar e Deus resolveu o problema. Quando Pedro foi preso, e no outro dia seria morto por Herodes, a igreja fez continua oração por ele a Deus, e o Senhor libertou o seu servo.
O Brasil está precisando de mudanças. Deus sabe onde mudar, porque mudar e a quem mudar. A Palavra diz que toda autoridade é constituída por Deus. É Deus que levanta reis e depõe reis. Se a igreja do Senhor orar, Deus vai mudar o quadro de nossa nação.
Vejo em tudo isso uma estratégia de satanás,  para querer desencorajar a igreja em fazer missões. A crise financeira, o dólar nas alturas, tudo isso vem trazer desestímulo aos lideres. Porém, maior é o Senhor da Igreja. É somente confiarmos mais; orarmos mais; humilharmos mais, Deus fará a sua parte. Você já orou com fé pelo Brasil hoje? Se não o fez, aproveite e ore agora!

Oremos, pois confiantemente no Senhor.


Pr Daniel Nunes