Pages

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Morre Waldemar Carvalho, pioneiro do movimento missionário

Morre Waldemar Carvalho, pioneiro do movimento missionário
Faleceu no último domingo (14) Waldemar Carvalho, 76 anos, conhecido como um dos pioneiros do movimento missionário no Brasil. Pastor da Assembleia de Deus, Carvalho era presidente da Missão Kairós e mantinha seus trabalhos em prol do treinamento de obreiros que eram enviados para evangelizar.

A morte do pastor se deu por complicações respiratórias, ele já estava internado em um hospital em Brasília para tentar se recuperar, mas veio a falecer. O corpo foi velado na terça-feira (16) em São Paulo e sepultado no Cemitério da Paz, no bairro do Morumbi.
“Era um assembleiano convicto, mas a Missão Kairós trabalhava com pessoas de várias denominações, valorizadas por seus dons e sua contribuição. Era um líder forte, por vezes intransigente quando pessoas iam contra sua orientação. Há pouco tempo a sede da missão foi destruída pelo fogo, isso o entristeceu, mas não desanimou.
O missionário Silas Tostes, presidente da Aliança Evangélica Brasileira, também deu um depoimento a Revista Ultimato falando sobre o pastor. “Lembramos que nos anos de sua vida, o Pr. Waldemar não se cansou de mobilizar, treinar e enviar missionários. Que grande exemplo e legado ele nos deixa!”, afirmou desejando que o consolo do Senhor esteja sobre toda a família do pastor e os missionários da Missão Kairós.
“Waldemar era um homem muito sério, mas amigo de todos. Ele fundou a Missão Kairós que enviou vários missionários para o mundo. Ele também era muito perseverante, porque mesmo doente, viajava para falar de missões mesmo assim”, disse Elben César, redator da revista Ultimato. “Estava em Brasília, falando em um evento, quando passou mal e foi levado ao hospital”, contou.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

A NOSSA DEPENDÊNCIA DE DEUS

Eles, pois, colhiam cada manhã; cada um, conforme ao que podia comer; porque, aquecendo o sol, derretia-se” (Ex 16. 21).

O povo de Israel saiu do Egito através da mão forte do Senhor. Sem a miraculosa intervenção de Deus, jamais eles teriam logrado êxito naquela jornada, que, se não fosse ordem direta do Todo-poderoso, seria uma loucura, pois, cerca de seiscentos mil homens de guerra, fora mulheres e crianças, uma cifra que podia chegar a três milhões de pessoas, saíram, andando errantes como nômades, pelo meio do deserto de Sinai.
Assim que passaram o Mar Vermelho, Moisés, Miriam bem como todo o povo de Israel cantaram. As mulheres, estavam tão felizes, tão festivas com tudo o que havia acontecido; que a Bíblia diz que cantaram e dançaram. Mas, aquela festa, logo deu lugar a incerteza. Pois, com pouco tempo de caminhada, faltou água para toda aquela multidão. O povo clamou a Moisés, e o grande libertador não tinha outra saída a não ser clamar ao Senhor: “E ele clamou ao Senhor...” (Ex 15.25). Deus sempre tem a solução. Naquele momento, o Senhor manda Moisés, cortar um lenho, e lançar nas águas amargas de Mara, e, as águas se tornaram doces, e todo o povo pode beber água com fartura.
A jornada prossegue, e dentro de pouco tempo, estavam com saudades das comidas do Egito.  Lembraram-se das panelas cheias de carne, pepinos e melões, e, se esqueceram da escravidão e do chicote. Quantos que após serem libertos pelo Senhor, ainda vivem com saudades das panelas do mundo. Esquecem-se do que Jesus disse: “Aquele que comete pecado é escravo do pecado”, e, que “O salário do pecado é a morte”. Deus, em sua grande e infinita misericórdia avisa a Moisés dizendo: “Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá e colherá cada dia a porção para cada dia, para que eu veja se anda em minha lei ou não” (Ex 16. 4).  Muito me chama a atenção o que disse o Senhor: “... a porção para cada dia”. É isso que o Senhor quer, que dependamos dele cada dia. Jesus ensinando-nos a orar, ele disse: “O pão nosso de cada dia dai-nos hoje”. Ele não disse o pão para cada semana, ou para cada mês. Pois, se dependêssemos dele cada mês, podíamos esquecer-nos Dele, de seus favores e seu poder durante esse tempo.
Louvemos e adoremos a Ele todos os dias. Agradeçamos os seus cuidados. O ar que respiramos, o pão que comemos, a água que bebemos, a comunhão que temos, a esperança que guardamos em nossos corações. Você que está lendo agora esta mensagem, agradeça  Deus por teus olhos, pela capacidade de leitura que tem nos dado. Agradeçamos a Ele inteligência que nos deu para cultuarmos o seu Nome a cada dia.
Acho simplesmente radiante quando Neemias diz: “Desse modo  os sustentaste quarenta ano deserto; falta nenhuma tiveram; as suas vestes não envelheceram, e seus pés não se incharam” (Ne 9.21). Que Deus tremendo! Esse é o nosso Deus que pode fazer o mesmo com você. Estamos chegando ao final de mais um ano, mas os cuidados do Senhor continuam sobre as nossas vidas. Apropriemo-nos do que disse o velho e experiente apóstolo Pedro: “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1Pe 5.7).


Pr Daniel Nunes

sábado, 13 de dezembro de 2014

ENGANADORES DO POVO

O profeta que teve um sonho, que conte o sonho; e aquele em quem está a minha Palavra, que fale a minha Palavra, com verdade. Que tem a palha com o trigo? – diz o Senhor.”
Temos que convir, que poucos são os pregadores hoje que tem compromisso com a Palavra de Deus. A sua grande maioria, está preocupado com a fama, o lucro, a sobrevivência. Como disse Paulo: “..., cuidando que a piedade seja causa de ganho” (1Tm 6. 5). Há aqueles, que não esperam serem convidados para pregar, mas eles mesmo se convidam. Ligam para os pastores dizendo: “Estou dando a passada ai para congregar contigo”. Se o pastor for verdadeiro e dizer que o tal pregador pode vir, mas que já tem pregador convidado para o culto, o sujeito nem aparece no culto. Há também aqueles que pegam carta em trânsito. Já diz tudo a sua carta: só vive transitando de um lado para o outro, vendo onde pode pousar, comer, quem sabe fazer uso do microfone para contar sua estorinha, e finalmente angariar alguns trocados. As igrejas estão cheias desse tipo de gente, que vivem dizendo que está desempenhando o seu ministério. São parasitas. Não contribuem com nada no reino de Deus. Na cidade onde moram, eles não congregam, não ajuda nos cultos, não dizimam, não evangelizam, enfim, eles não fazem nada. A função deles é andar, de um lado para outro, exortando as igrejas e os crentes a serem santos, honestos, trabalhadores, dizimistas, mas eles não fazem nada disso. Uma grande maioria deles são casados, mas andam sem as esposas. A pobre da mulher,  muitas vezes, meses a fio, cuidando sozinha dos filhos. Trabalhando para sobreviver, enquanto os bonitões estão pelo meio do mundo, comendo do bom e do melhor, como se fossem jovenzinhos descompromissados.
Entendo estar na hora dos pastores darem uma basta nisso. Pastor que se presa, e que tem compromisso com Deus, não entrega o púlpito para qualquer um que diz profeta ou pregador. Tem muita palha e pouco ou nenhum trigo. A primeira qualidade de um pregador é ser um crente salvo. Se for casado, deve cuidar bem de sua família. Deve ser submisso ao seu pastor e a sua igreja base. Deve ser um frequentador dos cultos regulares da igreja, inclusive a escola dominical.

Cuidado com os lobos vestidos de ovelhas!

Pr Daniel Nunes

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Acolha a Bíblia


Quem acolhe a bíblia no coração, recebe o espírito de Deus. A Bíblia funciona.
Um medico cristão estava lendo sua Bíblia assentado num banco da praça, quando um senhor se aproximou e reconhecendo o médico disse:
- Não posso crer que o senhor, com sua cultura, consiga ler e acreditar num livro como esse! 
- Por quê? Perguntou o médico.
- Por que nem sabemos quem escreveu este livro. Eu não acredito numa coisa que nem sequer saiba quem escreveu. O medico olhou fixamente para o homem e perguntou-lhe: 
- O senhor acredita e usa a tabuada? 
- Sim. uso-a freqüentemente. 
- O senhor sabe quem escreveu a tabuada? 
- Não, não sei, respondeu o incrédulo. 
- Como é então que o senhor acredita e usa algo que o senhor nem sequer sabe quem escreveu? Perguntou-lhe o médico. O homem embaraçado teve uma idéia brilhante e respondeu: 
- É que a tabuada funciona, e tudo mundo sabe disto. 
- Meu amigo, disse o médico, a Bíblia também funciona muito bem. E eu poderia mostrar centenas de pessoas que tiveram suas vidas modificadas pela Palavra de Deus. Seus ensinos são vida para quem os coloca no coração.

Autor: 
desconhecido

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Conheça a história do muçulmano que sonhou com Jesus Cristo

Um colaborador da Portas Abertas no Oriente Médio relata sua experiência ao ouvir o testemunho de um muçulmano que se tornou um cristão secreto.
Até o último minuto estávamos incertos se o irmão Yassar* se reuniria com a gente ou não. Ansioso pelo momento de comunhão que teria conosco, ele concordou em compartilhar o seu testemunho. Quando ele chegou, nós garantimos que as cortinas estavam fechadas para assegurar-lhe uma maior sensação de segurança.
Yassar é de um país do Oriente Médio, onde a conversão ao cristianismo pode levá-lo a ser preso, torturado ou até morto por parentes e autoridades locais caso se negue a renunciar sua nova fé em Jesus Cristo.
Totalmente desiludido com o islã, Yassar teve um sonho em que Jesus, um homem vestido de branco, se revelou a ele. Esta experiência espiritual foi tão real que Yassar fez todos os esforços para conseguir uma Bíblia na qual pudesse aprender mais sobre Jesus. Ao ler a Palavra de Deus, ele foi tocado pela mensagem de amor, a maneira e o tom que as histórias foram escritas. Para ele, o deus do Alcorão era uma divindade violenta e sem amor. Ao ler os evangelhos, ele se convenceu de que precisava ser batizado e pertencer à família de Jesus.
Seu próximo desafio era encontrar alguém que iria batizá-lo. Ele não conhecia outros cristãos. Estava com medo, mas tinha o desejo de dar este passo corajoso.
Ele conseguiu um emprego em um país vizinho, e pela graça de Deus, conheceu outro cristão que o apresentou a um colaborador da Portas Abertas na região. Tudo isso aconteceu em máximo sigilo, enquanto Yassar estava com medo de ser exposto e deportado. Ele sabe que seu país também seria informado da sua conversão. Depois de algumas reuniões e comunhão com o pequeno grupo de cristãos secretos, Yasser finalmente foi batizado – após dois anos que declarou sua fé em Jesus Cristo.
Até o momento, Yassar ainda é um cristão secreto e só conhece um pequeno número de cristãos. Eles se reúnem em segredo por medo de serem perseguidos. Ele gostaria de levar a mensagem de Cristo de volta à sua terra natal e à sua família, mas ele ainda está aguardando a instrução de Deus. Ore para que sua fé permaneça forte e que ele seja protegido pelo Senhor na sua caminhada de fé.
DIP: servindo cristãos no mundo muçulmano
No dia 31 de maio de 2015, você tem a oportunidade de abençoar cristãos como Yassar, que vivem no mundo muçulmano, muitas vezes praticando sua fé em segredo por causa da perseguição. Realize o Domingo da Igreja Perseguida (DIP) em sua igreja e mobilize irmãos em oração e apoio aos esses cristãos. Participe!
*Nome e foto alterados por motivos de segurança.  

domingo, 30 de novembro de 2014

O PERIGO DE SEGUIR OS OLHOS

Se os meus passos se desviaram do caminho, e se o meu coração segue os meus olhos,...” (Jó 31. 7).
Se há uma das coisas boas que Deus fez no homem, são os olhos. Através deles podemos definir as cores. Contemplar as belezas paradisíacas dos bosques, rios, oceanos, montanhas, e muito mais. Com os olhos, podemos contemplar a face de nosso semelhante. Porém, Jesus disse: “A candeia do corpo é o olho. Sendo pois o teu olho simples, também todo o teu corpo será luminoso; mas se for mau, também o teu corpo será tenebroso” (Lc 11. 34). Significa dizer: Apesar de serem os olhos tão importantes para o corpo humano, poderá os mesmos serem tropeço e tenebrosidade para todo o corpo, dependendo muito de como estão sendo usados.
Jó disse: “Fiz concerto com os meus olhos; como pois os fixaria numa virgem?” (Jó 31.1). Jó tinha um código de ética com seus olhos. Querendo dizer: Os meus olhos não me dominam, mas eu domino os meus olhos. Foi por isso mesmo que o patriarca da paciência disse: “... e se o meu coração segue os meus olhos...”. Jó não deixava se levar por aquilo que via, e, sobretudo ele tinha um grande cuidado no que fixava a sua visão. Foi por não ter esse cuidado com os olhos que Davi pecou com Bate-Seba. Ele olhou pela janela, e a viu tomando banho. Para os olhos humanos, carnais, poderia dizer: Que oportunidade Davi teve. Na hora que abriu a janela, teve a oportunidade de ver uma mulher linda tomando banho. Pois é, aquilo que parecia uma oportunidade se transformou na maior tragédia na vida do homem segundo o coração de Deus. Tudo porque seguiu os seus olhos. Faltou domínio naquilo que estava vendo. Mas tarde, após aprender a dura lição, Davi escreveu: “Não porei coisa má diante dos meus olhos...” (Sal 101.3).
Hoje em dia, muito mais que nos dias passados, quando há a facilidade da internet, e as páginas pornográficas, podem ser acessadas com grande facilidade até por crianças, devemos ter muito cuidado. Há uma grande necessidade de fazermos concerto com nossos olhos. De repudiarmos qualquer coisa que venha trazer prejuízo espiritual e entristecer o Espírito Santo de Deus. O mundo apodrecido no pecado não entende essa mensagem. Podem ate achar que somos fundamentalistas. Mas, se cuidarmos de nossos olhos, todo nosso corpo estará em luz, caso contrário, andaremos em trevas.

Pr Daniel Nunes

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

QUANDO PASSAMOS PELO VALE

E a mão do Senhor estava sobre mim ali, e me disse: Levanta-te, e sai ao vale, e ali falarei contigo” (Ez 3.22).
Há alguns vales que Deus nos faz passar durante nossa vida. Estive pensando sobre eles, e, me veio o desejo de compartilhar com você. Quem sabe estejas passando por algum desses vales e este estudo te ajudará a entender melhor, porque estás passando por ele.
1.       O vale de Jaboque (Gn 32. 22-32), que o chamei “O vale da transformação”. Onde Jacó lutou com o Anjo do Senhor, e não o deixou ir, até receber a benção. Lá, no vale de Jaboque, Jacó foi transformado em Israel. De trapaceiro, enganador, usurpador a príncipe de Deus, ou, aquele que luta com Deus. Veja bem, antes de passar pelo vale de Jaboque, quem tentava ganhar as batalhas para si, era o próprio Jacó. Mesmo que para isso precisasse trapacear, ludibriar. Mas, após ter passado pelo vale, ele aprendeu que quem pelejava por ele era o Senhor. Certamente, aquele medo que estava de seu irmão Esaú, foi embora, porque a certeza no Deus de Abraão e Isaque saturou o seu coração. Não era mais ele que o guardava, mais o Senhor o protegia por onde quer que andasse: “E partiram; e o terror de Deus foi sobre as cidades que estavam ao redor deles, e não seguiram após aos filhos de Jacó” (Gn 35. 5). E melhor confiar em Deus, que confiar nos homens. O salmista Davi disse: “ Uns confiam em carros, outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor nosso Deus” (Sal 20. 7). Lá no vale, Jacó recebeu a transformação que precisava para ser o grande patriarca, que levou o nome de onde veio a linhagem escolhida de Deus, o povo de Israel. Se precisar, Deus vai fazer você passar no vale da transformação, vai mudar alguma coisa em sua vida. Seja em teu caráter, em seu modo de pensar, em sua maneira de agir, não sei, sei que Ele ainda é o mesmo Deus.  Gosto também de chamar o Vale de Jaboque, de “a oficina de Deus”. Nessa oficina o Criador troca peças, arranca peças, concerta peças que estão danificadas. Interessante, que quando Jacó saiu do vale, manquejava. O nervo de sua perna havia encolhido com o toque do Senhor. Quantos que precisam de um toque para encolher o orgulho, o egocentrismo, o narcisismo, etc. Há pessoas, que estão vivendo a síndrome de lúcifer. Pensam que são melhores que outros. Acham que devem sempre ser honrados e aplaudidos. Basta um toque do Senhor, e a tua vida será mudada.
2.       O Vale da sombra de morte (Sal 23.4), que o chamo de “ O Vale da Confiança perfeita em Deus”.  O salmista disse: “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”. Que confiança é essa que o salmista manifestou? Ele está falando daquele momento crítico da vida. Ele se refere aquele dia, que mais tarde Paulo chamou de “dia mau”. Aquele momento que parece que nada da certo. Parece que todos estão contra nós. Mas o grande apóstolo dos gentios também disse: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 11.31). A confiança do salmista não estava nos amigos, nem nos cavalos de guerra que ele possuía (Sal 20. 7). Ele não confiava em seu posto como rei, mas disse: “... porque tu estás comigo”. A presença do Senhor era a real confiança de Davi. Para vencer o gigante Golias Davi disse: “Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti e nome do Senhor dos exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado” (1Sm 17. 45). Queria dizer Davi, eu não confio em armas carnais, mas sim, no nome de meu Deus. Se estás passando pelo vale da sombra de morte, chegou o momento de mostrar que não confias em si mesmo. Quem sabe os amigos, aqueles amigos íntimos, todos te abandonaram. Quem sabe o dinheiro já acabou. Mas, há um amigo, muito mais chegado que irmão, ele está dizendo: “Não te deixarei, não te abandonarei”.
3.       O vale de ossos secos (Ez 37). Gosto de chama-lo de “O vale da autenticação profética”. Nesse vale, ou você é profeta ou é osso seco. Lembro-me de quando ainda era muito jovem. Estávamos em um culto, em uma igreja muito humilde. Havia vários obreiros, entre os quais presbíteros, diáconos e cooperadores. Repentinamente, lá num cantinho uma senhora da um grito ensurdecedor e cai endemoninhada. Alguns irmãos correram pra fora do pequeno templo e outros ficaram olhando aquela mulher se contorcendo no chão e clamando com uma voz muito feia, se enroscando pelos bancos como se fosse uma serpente. Naquele momento, o presbítero grita: “Irmão Daniel, vai até lá e expulsa aquele demônio”. Eu, com confiança apenas no nome de Jesus, me levantei, e ordenei aquele espírito maligno que deixasse aquela vida, o qual, sem fazer maiores alardes, abandonou aquele corpo, deixando a mulher em paz. O diabo não aceita carteirada. Não adiante dizer que é pastor, que tem credencial de evangelista, ou diploma de teologia. Quando estamos no vale, somente uma vida em comunhão com o Espírito Santo, fará a diferença na vida do obreiro. Quantos que foram reprovados no vale! Na hora que o Senhor disse a Ezequiel: “profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do Senhor”, ele profetizou e o milagre aconteceu. Somente uma palavra verdadeiramente profética pode mudar o quadro caótico que o mundo está vivendo. Deus conta com você amado.
4.       O vale de Baca (Sal 84. 6). “O vale da frutificação”.  Há uma razão porque o vale de Baca (árido) é transformado em manancial. O verso anterior diz: “Bem aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos aplanados”. Esse que pisa o vale de Baca e o transforma em mananciais, não confia em si mesmo, mas sim no Senhor. Na verdade, o fiel cristão, apenas da passos de fé, mas que executa a benção é o Senhor. Podemos nos lembrar dos passos que os sacerdotes deram, quando na passagem do Jordão. Eles deram os passos, mas que abriu o Jordão foi o Deus. Geralmente, quando entramos nesse vale, é porque o Senhor quer nos usar para mudar situações de outras pessoas. Pessoas que estão vivendo na aridez espiritual, física, financeira ou de outra índole. Deus nos usa, para entrar nesses desertos e transformar as situações, frutificando como José e espalhando ramos sobre o muro (Gn 49.22).
Não importa o vale que estejas passando. Lembre-se: o vale é apenas a escola de Deus para sua vida. Logo, o Senhor te levará aos píncaros da vitória em nome de Jesus.


Pr Daniel Nunes