Pages

domingo, 21 de agosto de 2016

MULHERES ADORANDO A DEUS COM EXCELÊNCIA

Maria de Betânia, a adoradora.
E aproximando-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, com unguento de grande valor, derramou-lho sobre a sua cabeça, quando ele estava assentado à mesa” (Mt 26.7).
E, estando ele em Betânia assentado à mesa em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher que trazia um vaso de alabastro, com unguento de nardo puro, de muito preço, e, quebrando o vaso, lho derramou sobre a cabeça” (Mc 14.3).
Então, Maria, tomando uma libra de unguento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus e enxugou lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do unguento” (Jo 12.3).

1.     Quem era essa mulher? Os três relatos, falam da mesma mulher, que era sem dúvida a irmã de Marta e Lázaro, conforme nos relata João. Ela era a mesma que ficou aos pés de Jesus, na sua própria casa, enquanto Marta fazia a comida (Lc 10.38-42). Ela amava ficar aos pés de Cristo, ouvindo e adorando-o.

2.    O material que ela usou na adoração.
a.     Vaso de alabastro. Uma espécie de mármore, branco ou translúcido. Era mais maleável que o próprio mármore. Um vaso, que começava arredondado, e terminava com um fino gargalo. O vaso já era muito caro. O material não era de Israel, mas sim, da Síria ou do Egito.
b.    Unguento de Nardo puro. Era o perfume dos reis e das rainhas. Importado da índia, em vasos de alabastro selados. Somente quando alguém muito especial chegava, o selo era quebrado, para exalar o perfume do nardo: “Enquanto o rei está assentado à sua mesa, dá o meu nardo o seu cheiro” (Ct 1.12).

3.    O rei Jesus estava lá na casa de Simão. Então, Maria, toma o vaso de alabastro selado, com uma libra de nardo puro (quase meio litro), e derrama sobre sua cabeça, que chega até seus pés. Imaginemos aquela cena! Ninguém adora a Jesus para passar despercebido. Notemos os acontecimentos após sua adoração:
a.     A casa se encheu de perfume (Jo 12. 3).
b.     Tem aqueles que criticam o adorador (Lc 7.39);
c.      Outros criticam como você adora (2Sm 6. 13-16,20);
d.     Há os que criticam porque você adora. Quer dizer, em vez de adorar, vá servir aos pobres! (Jo 12.5).
e.     E ainda, os que se preocupam com o tempo, e com a quantia gasta na adoração (Mt 26.8).
f.       Davi nos exorta dizendo: “Servi ao Senhor com alegria”(Sal 100.2);
g.     Quem não adora é um crente estéril (2Sm 6.23).

4.     O crente como adorador.
a.     Nosso coração é esse vaso de alabastro. Precisa ser quebrado. Isso fala da humilhação. Do descer do pedestal do eu e da arrogância. O homem gosta de ser louvado, adorado.
b.     Quebrar o vaso fala também de uma adoração completa. Ela poderia apenas tirar o selo e pingar o nardo, mas ela não fez assim. Ela quebrou o vaso. Quer dizer: o Senhor merece toda nossa adoração: 
Quantos que oferecem o resto de sua adoração.
O resto de tempo, o resto da dedicação, o resto do compromisso, o resto da atenção, o resto das forças... Será que é isso que Jesus merece? Ele deu tudo dele. Deu tudo que tenho, tudo que sou. Tudo provem dele. A vida provém dele!
c.      
d.     A adoração é o perfume de nardo puro que, quando o gargalo do vaso de alabastro é quebrado, é derramado aos pés de Cristo, o Rei dos Reis (Rm 12.1; 1Co 10.31).

5.     Como é o verdadeiro adorador por excelência?
a.     Adora quando come, e quando jejua;
b.     Adora quando veste. Com seu corpo adora ao Senhor (1Co 6.20).
c.      Adora quando vem para a igreja (Sal 122.1);
d.     Adora com sua alma (Sal 103.1);
e.     Adora quando volta da igreja;
f.       Adora quando ora;
g.     Adora quando canta: “Eu te louvarei Senhor de todo o meu coração; na presença dos deuses a ti cantarei louvores” (Sal 138.1).
h.     Adora quando chora: Paulo e Silas na prisão (At 16. 25).
i.       Adora quando ganha (1Sm 2.1 e ss).
j.       Adora quando perde: “Então, Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou, e disse: Nu saí da ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o Nome do Senhor” (Jó 1. 20,21).
k.     Adora quando anda (2Rs 4.9; Mt 5.16).
l.       Adora mesmo antes de receber: A mulher siro fenícia (Mt 15.25).


Um verdadeiro adorador é um receptáculo das bênçãos do Senhor.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A ORIGEM DAS OLIMPÍADAS



Há no mundo grego um panteão de deuses, chamados de “olímpicos”. Estre os quais estão o deus Zeus e sua terceira mulher a deusa Hera. Porém há uma lista não pequena de outros que são adorados nas olimpíadas: Atena, Ártemis, Apolo, Hermes, Ares, Dionisio, Afrodite, Demeter, Hefaístos, Posêidon, Héstia, Prometeu, etc. Nota-se então que há deuses para todos os gostos.
São chamados jogos olímpicos ou olimpíadas, por ter tido seu inicio na cidade de Olímpia na Grécia Antiga. O objetivo era homenagear ao deus Zeus e sua mulher Hera. Os homens prestavam homenagem a Zeus, e as mulheres a deusa Hera. 
Desde os tempos mais remotos, os vencedores já recebiam as coroas de louro, ou de folhas de oliveira. Porque a coroa de louro? Conta-se que havia uma divindade muita bela nos bosques, que se transformou em uma planta de louro para fugir do deus Apolo. Então, encolerizado, Apolo fez uma coroa dos ramos de louro, e, colocou sobre sua cabeça para representa-lo. Desde então, os vencedores são coroados com folhas de louro.
Zeus, o deus mais adorado e que mais simboliza as olimpíadas, segundo a mitologia grega, era filho caçula dos Titãs Cronos e Réia. Zeus derrotou os Titãs, e tornou-se rei dos deuses. Era ele quem governava os deuses que viviam no monte olimpo, assegurando a justiça e presidindo a ordem social. Segundo reza a lenda, Zeus teve três esposas: Metis, Têmis e Hera, e muitos outros casos com deusas, ninfas e mulheres mortais.
Se fôssemos historiar tudo, a matéria se tornaria enfadonha, mas quero apenas falar da tocha olímpica, que chega na frente, como que trazendo vida para as competições. Tudo tem um significado idolátrico. Diz que o deus Prometeu era o protetor da humanidade. Quando Zeus e os homens encontraram-se para partilhar comida, Prometeu tramou para que Zeus levasse os ossos e deixassem a carne para os humanos. Zeus reagiu tirando o fogo da terra. Mas Prometeu foi até a forja de Hefaístos (filho de Zeus, o deus vulcânico) e roubou um pouco de fogo para os homens. Quando então se acende a tocha olímpica, se presta uma adoração a Prometeu, mesmo que se faça de forma inconsciente.
Sei que muitos crentes em Jesus Cristo de maneira inocente, sem saber as raízes dos jogos olímpicos, estarão assistindo e torcendo pelos competidores. Há até crentes competindo lá dentro. Mas, não podemos calar diante da verdade da Palavra: “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2). “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (1Jo 2.15).
Amados, tenhamos a certeza: por mais que os jogos olímpicos possam trazer dividendos financeiros para o país; por mais que torne a cidade do Rio de Janeiro e o Brasil conhecidos lá fora; Por mais que promova a integração social, eles veem carregados de idolatria, mitologia e coisas que desagradam ao único Deus verdadeiro. Disse o Senhor: “Vós sois as minhas testemunhas diz o Senhor, e o meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu Sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá”. “Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há Salvador”. “Eu anunciei, e eu salvei, e eu fiz ouvir, e deus estranho não houve entre vós, pois vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor Deus”. “Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa escapar de minhas mãos: operando eu, quem impedirá?” (Is 43. 10-13).
Temos que decidir de que lado estamos. Ninguém pode servir a dois senhores. Ou servimos a Deus dos céus, ou servimos aos deuses do olimpo. Ou carregamos a tocha do Espírito Santo em nossos corações, ou a tocha de Prometeu. “... escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses do amorreus, em cuja terra habitais: porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15).
Faça a sua própria reflexão e tire suas conclusões sobre o assunto.


Pr Daniel Nunes

quarta-feira, 27 de julho de 2016

O QUE PENSO DOS IRMÃOS CESSACIONISTAS


O termo cessacionistas no meio cristão evangélico, é usado para definir àqueles que entendem que os dons do Espírito Santo de Deus, não estão mais em evidencia na igreja. Quer dizer: Os dons de línguas estranhas, de curar enfermos, de interpretação de línguas, etc. já não acontecem mais, segundo seus adeptos. Para eles, isso ocorreu no inicio da igreja, a dois mil anos atrás, mas que hoje já não há essa operação do Espírito Santo de Deus.
·        Mas, será que isso é verdade?
·        O que a Bíblia fala sobre esse tema?
·        Teria o Espírito Santo ficado restrito pelo Pai, ou por Jesus, para que não pudesse mais atuar como quer na vida da Igreja?
·        A igreja teria empobrecido desde seu inicio até agora, concernente aos dons espirituais?
·        A igreja não precisa mais dos dons espirituais?
·        Os salvos de hoje são de segunda categoria, por isso não podem receber os dons espirituais?
·        O diabo ficou menos furioso e menos tentador?
·        As enfermidades já não assolam mais a humanidade, a ponto de não precisar mais dos dons de curar?
·        Não há mais espíritos enganadores, por isso, a igreja não precisa mais do dom de discernir os espíritos?

São algumas perguntas que faço; apenas para despertar nossa curiosidade quanto a tão relevante assunto.
Pedro foi claro ao dizer: “Porque a promessa voz diz respeito a vós, a vossos filhos, e todos o que estão longe: a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar” (At 2.39). Não precisa ser exegeta, hermeneuta, formado em grego ou hebraico para fazer uma interpretação simples e bíblica desse texto: O apóstolo Pedro está pregando no dia de pentecostes. O dia da descida do Espírito Santo sobre os quase cento e vinte crentes que estavam reunidos orando, e, esperando a promessa do Pai (At 1. 4,5). Pregando e explicando para a multidão que havia perguntado: “Que quer isto dizer?” (At 2. 12), ele explica dizendo que foi o cumprimento da profecia de Joel 2.28,29, sobre o derramar do Espírito Santo. Então, com clareza ele diz que a promessa não seria restrita apenas para aquela geração, mas, para os de perto, os de longe, a tantos quantos fossem chamados por Deus. Portanto, todas as gerações de cristãos, desde o nascedouro da igreja até os dias atuais, e, por quanto tempo a igreja existir na terra, essa palavra está de pé. Jesus não mudou e nem mudará. Não será por causa de alguma, e porque não dizer de muitas meninices, e até extrapolações no meio da igreja concernente aos dons espirituais, que vamos extinguir os dons do Espírito. Disse Paulo aos Tessalonicenses: “Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias; Examinai tudo. Retende o bem;” (1Ts 5. 19-21). Quando o carro não está andando bem, não vamos extinguir os trilhos, mas, vamos consertar o carro, coloca-lo novamente nos trilhos e prosseguir viajem.
Sabe o que penso dos cessacionistas:
·        Penso que falta fé suficiente para crer nos dons e mistérios de Deus (Lc 18.8).
·        Penso que querem interpretar a Bíblia a seu bel prazer, e não como está escrito verdadeiramente na Palavra (1Co 14.1; 2Pe 1.20).
·        Penso que sentem vergonha do mover do Espírito Santo no meio da igreja, e preferem então viver um evangelho frio. Tendo medo de serem tachados de bêbados, assim como foram chamados os discípulos em Jerusalém (At 2.13).
·        Penso que são ignorantes a respeito dos dons espirituais (1Co 12.1).
·        Penso que são crentes salvos, mas, vivem as margens daquilo que o Senhor Jesus verdadeiramente quer e deixou para o seu povo na terra: “Mas, como está escrito: “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu e não subiram ao coração do homem, sãos as que Deus preparou para os que o amam” (1Co 2.9).
·        Penso que querem viver por vista e não por fé (2Co 5.7).
·        Penso que precisam urgentemente dar lugar ao Espírito, pois fazendo assim, serão também cheios do Espírito Santo, e serão poderosamente usados por Deus, assim como aconteceu com os discípulos em Éfeso (At 19.1-6).
·        Penso que ao invés de ficarem tentando barrar a atuação do Espírito Santo na igreja, deveriam buscar a direção de Deus, e fazer o que Paulo disse: “Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar línguas” (1Co 14. 39).
     Pode até não ser, mas é o que penso!

Para os irmãos que creem conforme a Bíblia nos ensina, quer dizer: na atualidade dos dons espirituais, vos digo: “Mas faça-se tudo decentemente e com ordem” (1Co 14.40).

Vosso em Cristo

Pr Daniel Nunes da Silva

segunda-feira, 25 de julho de 2016

A PROVA ESTÁ LANÇADA


Dizer que ama a Deus e a seu Filho Jesus Cristo não é tudo. Como dizia os mais antigos: “falar é fôlego”. Amar é muito mais que palavras soltas ao vento. Jesus colocou a prova o nosso amor com as seguintes palavras: “...se alguém me ama, guardará a minha palavra...” (Jo 14.23). Está ai! Simples dessa forma. Não precisa nem ficar alardeando por ai dizendo que ama a Jesus; basta guardar a sua Palavra.
O que é guardar a sua palavra? O Mestre por excelência nos explica: “E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo? Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante: É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pode abalar, porque estava fundada sobre a rocha. Mas o que ouve e não pratica é semelhante ao homem que edificou uma casa sobre a terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a corrente e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa” (Lc 6. 46-49).
Nota-se claramente, que amar a Jesus é viver os seus ensinamentos. Amar a Jesus é por em prática as suas palavras. É aceitar de coração os seus ensinamentos. É viver de acordo com a vontade de Deus, e não segundo a nossa vontade. João escreve dizendo: “Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou” (1Jo 2.6). Não é somente dizer que está nele, mas também andar como ele.
Infelizmente, estamos vivendo um evangelho mascarado. Se diz que ama a Jesus, más, a prática é totalmente diferente. Aqueles que amam a Jesus, e anda como ele andou, tem um viver, um falar, uma agir, totalmente diferente desse mundo. Eu não quero nem falar do mundo dito cristão. Falo dos crentes mesmo. Esse povo que tem a obrigação de ser diferente, porque carrega um nome que precisa ser respeitado, honrado, amado e reverenciado: O nome de Jesus.
Então a prova está lançada. Não sou eu quem vou dizer se você ama a Jesus de verdade, mas, você vai fazer a prova, e ver se passa nela. Lembra daqueles que diziam ser apóstolos e não passaram na prova, mas foram achados mentirosos? (Ap 2. 2). Pois bem, agora chegou a nossa vez de sermos provados pela Palavra de Deus:

1.       Você ama e comete mentiras, ou ama e comete a verdade? (Jo 8.44; Ap 22.15; Pv 23.23; Ef 6.14). Ai estão os textos. Tenhamos a coragem para lê-los, e fazer uma reflexão sobre os mesmos. Vivemos mentindo para nos safar de situações, ou, mesmo que seja para sermos punidos, falamos a verdade?
2.       Você vive uma vida de adultério, fornicação, erotismo, ou vive uma vida de santificação diante de Deus? (1Co 5.1-5; 7.1,2; Col 3.5,6; 1Ts 4. 3-5; Tg 4.4; 1Pe 1. 15,16; 2Co 12.21). Faça a prova!
3.       Você gosta de falar palavras torpes, imundas, ou a tua boca fala o convém aos santos? (Sal 5. 9; Rm 3.13; Tg 3.9; 1Co 14.26; Tt 2.8). E dai, está passando no teste?
4.       Gosta de fofocas, ou é um instrumento de Deus para o aconselhamento dos fracos na fé? (Pv 6.16-19; 2Co 12.20; Gal 6.1).
5.       A musica mundana te agrada. Filmes malignos chamam a tua atenção, ou és um adorador verdadeiro? (Jo 4.23,24; Ef 5.19,20).
6.       Você mulher, gosta de roupas provocantes, sensuais ou é recatada, sensata, sóbria? (Pv 7. 10,11; 1Tm 2.9,10; 1Pd 3. 2-5).
7.       Você homem, é daqueles que não pode passar uma mulher diante de ti, que já a cobiças, ou tens a unção do Senhor em teus olhos? (Pv 4.25; Mt 5.28,29; Ap 3.18).
8.       Es cheio do Espírito Santo, ou gostas de bebidas embriagantes? (Ef 5.18).

Façamos a prova cada um de nós, e veremos se amamos ao Senhor Jesus de fato e de verdade, ou estamos enganando-nos a nós mesmos com falsos discursos. “E sede cumpridores da Palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos” (Tg 1. 22).

Vosso em Cristo

Pr Daniel Nunes

quarta-feira, 20 de julho de 2016

O PREÇO DA TRAIÇÃO



"Então, um dos doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes e disse: Que me quereis dar, e eu vo-lo entregarei? E eles lhe pesaram trinta moedas de prata" (Mt 26. 14,15). Judas teve a mesma oportunidade que os demais apóstolos tiveram. Recebeu a mesma chamada, e os mesmos poderes. Em Mateus 10.1, diz: "E chamando os seus doze discípulos, deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem e para curarem toda enfermidade e todo mal". Andou com Jesus durante todo seu ministério aqui na terra; mas no final o traiu, vendendo a informação para as autoridades na época, por trinta moedas de prata. Pobre homem! Aquele dinheiro de nada adiantou. Não teve tempo para gastar. Não desfrutou de nada daquilo, pois, cheio de remorsos pelo que havia feito, pegou em uma corda, foi enforcar-se, a corda se quebrou e ele rebentou pelo meio (At 1. 18). Triste fim de um homem que tinha tudo para ser um grande vitorioso. Um grande exemplo. Não foi! Porém, nunca ele vai poder dizer que não teve oportunidade.
Talvez, lendo essas linhas você está pensando: Conheço alguém nos dias atuais que também já fez isso, ou está fazendo isso. Pessoas que tiveram grandes oportunidades de Deus. Foram alcançados pela sublime graça do Senhor Jesus. Sentiram o prazer na casa de Deus. Receberam dons do Espírito Santo, assim como disse o escritor aos Hebreus: "E provaram a boa palavra de Deus e as virtudes do século futuro" (Hb 6. 5), mas, recaíram. Traíram o Mestre. Assim como Esaú, venderam o direito de primogenitura, e, mesmo buscando com lágrimas, já não encontram mais. Venderam por quanto? Por valores irrisórios. Por quimeras fúteis e passageiras. Por minutos de prazer. Por um romance proibido. Por um cigarro de maconha, Por uma pedra de craque. Por uma garrafa de cerveja. Pensavam que iriam desfrutar do valor adquirido; mas assim como Judas, se arrebentaram pelo meio. Acabou a alegria, o prazer, a paz, a família, e o mais importante: A comunhão com Deus.
Não vale a pena vender Jesus. Nem por bilhões! Jesus é singular. Nessa singularidade está contida tudo de melhor que o ser humano precisa. Nada que o ouro ou diamante possa comprar. Paulo disse: "E estais perfeitos Nele, que é a cabeça de todo principado e potestade" (Col 2. 10). 
Deixe-me lhe dizer: Não seja enganado, ludibriado pelos  engôdos do diabo, porque nada valerá a pena trair Jesus. No momento em que as moedas estão tilintando, caindo no fundo do prato, parece uma música suave, mas, logo se transformará em uma música fúnebre, onde desejarás a morte, assim como Judas. Jesus está te dizendo: "Eu vim para que tenham vida e a tenham com abundancia". Jesus é a riqueza incomparável, o bem mais precioso que está ao alcance de todos. Não troques, não vendas, não traias, não negocies o bem de todos os bens, a riqueza de todas as riquezas, o tesouro de todos os tesouros. JESUS NOSSO SINGULAR SALVADOR.

Pr Daniel Nunes

sábado, 18 de junho de 2016

O PERDÃO TAMBÉM FUNCIONA


Me peguei perguntado: será que somente o ódio e o rancor funciona? Será que o perdão não? Porque é tão fácil guardar magoas, ódios e rancores de nosso semelhante? Verdade é, que erva daninha não se semeia. Nunca se viu ninguém semeando um campo de espinhos. Nunca se viu um agricultor ir a uma loja do ramo agrícola e pedir: me dá um quilo de sementes de espinhos. Mas, na primeira chuva que cai na terra, por mais seca que ela seja, a primeira coisa que nasce, são os espinhos. Porque que assim acontece? Porque a semente do espinho está lá. Em Gênesis 3. 17,18 está escrito: "E a Adão disse: Porquanto deste ouvido à voz de tua mulher e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela os dias da tua vida. Espinhos e cardos também te produzirá; e comerás a erva do campo". Eis a razão. Espinhos e cardos estão na terra. Não precisam ser plantados. Assim é o coração humano. A Bíblia diz o seguinte dele: "E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicava sobre a terra e que toda imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente" (Gn 6. 5); "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" (Jr 17.9). Assim como na terra existem sementes de espinhos, esperando a primeira chuva, no coração do homem está a maldade, apenas esperando o primeiro ataque, a primeira palavra mal falada, o primeiro olhar atravessado, para que ele brote com muita força, e não morra facilmente.
Só há uma arma poderosa, e muita mais poderosa que o mal, que o rancor, que as magoas, que poderá deter o círculo vicioso do mal. Essa arma é o perdão. O perdão reconstrói amizades desfeitas. O perdão cura corações feridos por palavras duras proferidas por amigos, pai, mãe, filhos, e tudo mais. O perdão suaviza a cama, afofa o leito, desmancha ninhos de fofocas e mentiras. O perdão lava a alma, purifica o espírito e cura o corpo. O perdão revela qualidades que antes não víamos nas pessoas. O perdão traz a tona pedras preciosas que antes estavam escondidas no lodo da ira, na lama do rancor, e na enxurrada da magoa. O perdão arranca raízes de amargura, que estorvam que a graça de Deus possa ser derramada no coração do homem. O perdão, me dá a oportunidade de agir como Jesus agiu. O perdão une famílias antes desunidas. Igrejas que mais parecem com uma poça de água suja, cheia de animais peçonhentos, se tornam como o mar da Galileia, quando seus membros entram pela senda do perdão. Na oração modelo, conhecida como a oração do Pai Nosso, Jesus nos ensinou a orar assim: "Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores" (Mt 6.12). Paulo arremata dizendo: "Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo" (Ef 4.32).
 Semeie a semente do perdão na terra do teu coração e no coração de outras pessoas. Se alguém te fez mal: perdoe. Se alguém te magoou: perdoe. Se alguém tentou te ridicularizar, manchar a tua reputação, não revides com a mesma semente, mas perdoe. Perdoando nos vamos chegar ao céu. O meu anelo, ao escrever essas palavras, é que elas toquem no íntimo do teu coração e nasça frutos viçosos e doces na boa terra do teu coração.
Vosso em Cristo
Pr Daniel Nunes

quarta-feira, 8 de junho de 2016

O PREÇO E O VALOR DO CHAMADO PASTORAL



“E vos darei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com ciência e com inteligência” (Jr 3.15).
Queria poder entrar no mistério que envolve esse nome “pastor”. Mas, sei que não posso. Há coisas que serão sempre inexplicáveis. Ser pastor é uma dessas coisas. Pode até alguém achar a coisa mais comum do mundo; eu não acho. Mesmo, após já quase trinta anos nessa lida, eu confesso que não acho nada comum.
Não acho comum, seres humanos, carnais, efêmeros, cuidar de coisas transcendentais.
Não acho nada comum, seres tão finitos, tão fugazes, tratar de causas divinas, onde somente O Santo e Onipotente sonda, entra e resolve.
Não acho nada comum, um homem que chora viver na missão de estancar o choro de seus semelhantes.
 Não acho nada comum, um pobre que muitas vezes não tem nem uma casa para morar, viver falando em riquezas e vitorias.
Isso em minha mente, sempre será incomum. Mas o “pastor”, esse homem, frágil, efêmero, que carrega o peso da carne, pobre, e muitas vezes cansado; carrega a coisa mais preciosa que se pode pensar e sonhar: A CHAMADA.
Eis o mistério! Ele é homem, mas homem chamado. Chamado por Deus, Chamado pelo Onipotente, Onisciente, Onipresente Deus. Ele carrega o preço, mas também a honra de ser embaixador dos céus. Isso mesmo: Embaixador dos céus. Ouçamos o que disse Paulo: “De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus” (1Co 5.20).
Que homem é esse, carregado de tão grande responsabilidade? Que homem é esse, cheio de tão grande cabedal, que nem mesmo os mais ilustres catedráticos carregam? Esse homem é o PASTOR.
Pastor escolhido, nomeado, encarregado, ordenado, para a mais árdua e sublime missão.
Pastor que chora e consola.
Cansado, mas da descanso.
Passa fome, mas alimenta.
Morrendo, mas dando vida a muitos.
Ah, que missão é está? Missão impossível aos olhos humanos. Impossível para a matemática, à ciência, à filosofia, à astronomia. Mas não é impossível para Àquele que o chamou.
Quem chama pastores é o Deus do impossível. Ele é o único que multiplica zero por zero e o resultado é positivo (Is 40.21). Ele fez maravilhas no passado e continua fazendo maravilhas no presente. A bem da verdade, somente Ele faz maravilhas! Foi o Senhor quem chamou o pastor.
Feliz o pastor que exerce o seu chamado com dignidade, alegria, e honra. Pois foi o Senhor Deus, que comissionou os pastores para tão relevante missão. FELIZ DIA A TODOS OS VERDADEIROS PASTORES CHAMADOS POR DEUS.



Pr Daniel Nunes da Silva