Pages

sábado, 18 de junho de 2016

O PERDÃO TAMBÉM FUNCIONA


Me peguei perguntado: será que somente o ódio e o rancor funciona? Será que o perdão não? Porque é tão fácil guardar magoas, ódios e rancores de nosso semelhante? Verdade é, que erva daninha não se semeia. Nunca se viu ninguém semeando um campo de espinhos. Nunca se viu um agricultor ir a uma loja do ramo agrícola e pedir: me dá um quilo de sementes de espinhos. Mas, na primeira chuva que cai na terra, por mais seca que ela seja, a primeira coisa que nasce, são os espinhos. Porque que assim acontece? Porque a semente do espinho está lá. Em Gênesis 3. 17,18 está escrito: "E a Adão disse: Porquanto deste ouvido à voz de tua mulher e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela os dias da tua vida. Espinhos e cardos também te produzirá; e comerás a erva do campo". Eis a razão. Espinhos e cardos estão na terra. Não precisam ser plantados. Assim é o coração humano. A Bíblia diz o seguinte dele: "E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicava sobre a terra e que toda imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente" (Gn 6. 5); "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" (Jr 17.9). Assim como na terra existem sementes de espinhos, esperando a primeira chuva, no coração do homem está a maldade, apenas esperando o primeiro ataque, a primeira palavra mal falada, o primeiro olhar atravessado, para que ele brote com muita força, e não morra facilmente.
Só há uma arma poderosa, e muita mais poderosa que o mal, que o rancor, que as magoas, que poderá deter o círculo vicioso do mal. Essa arma é o perdão. O perdão reconstrói amizades desfeitas. O perdão cura corações feridos por palavras duras proferidas por amigos, pai, mãe, filhos, e tudo mais. O perdão suaviza a cama, afofa o leito, desmancha ninhos de fofocas e mentiras. O perdão lava a alma, purifica o espírito e cura o corpo. O perdão revela qualidades que antes não víamos nas pessoas. O perdão traz a tona pedras preciosas que antes estavam escondidas no lodo da ira, na lama do rancor, e na enxurrada da magoa. O perdão arranca raízes de amargura, que estorvam que a graça de Deus possa ser derramada no coração do homem. O perdão, me dá a oportunidade de agir como Jesus agiu. O perdão une famílias antes desunidas. Igrejas que mais parecem com uma poça de água suja, cheia de animais peçonhentos, se tornam como o mar da Galileia, quando seus membros entram pela senda do perdão. Na oração modelo, conhecida como a oração do Pai Nosso, Jesus nos ensinou a orar assim: "Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores" (Mt 6.12). Paulo arremata dizendo: "Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo" (Ef 4.32).
 Semeie a semente do perdão na terra do teu coração e no coração de outras pessoas. Se alguém te fez mal: perdoe. Se alguém te magoou: perdoe. Se alguém tentou te ridicularizar, manchar a tua reputação, não revides com a mesma semente, mas perdoe. Perdoando nos vamos chegar ao céu. O meu anelo, ao escrever essas palavras, é que elas toquem no íntimo do teu coração e nasça frutos viçosos e doces na boa terra do teu coração.
Vosso em Cristo
Pr Daniel Nunes

quarta-feira, 8 de junho de 2016

O PREÇO E O VALOR DO CHAMADO PASTORAL



“E vos darei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com ciência e com inteligência” (Jr 3.15).
Queria poder entrar no mistério que envolve esse nome “pastor”. Mas, sei que não posso. Há coisas que serão sempre inexplicáveis. Ser pastor é uma dessas coisas. Pode até alguém achar a coisa mais comum do mundo; eu não acho. Mesmo, após já quase trinta anos nessa lida, eu confesso que não acho nada comum.
Não acho comum, seres humanos, carnais, efêmeros, cuidar de coisas transcendentais.
Não acho nada comum, seres tão finitos, tão fugazes, tratar de causas divinas, onde somente O Santo e Onipotente sonda, entra e resolve.
Não acho nada comum, um homem que chora viver na missão de estancar o choro de seus semelhantes.
 Não acho nada comum, um pobre que muitas vezes não tem nem uma casa para morar, viver falando em riquezas e vitorias.
Isso em minha mente, sempre será incomum. Mas o “pastor”, esse homem, frágil, efêmero, que carrega o peso da carne, pobre, e muitas vezes cansado; carrega a coisa mais preciosa que se pode pensar e sonhar: A CHAMADA.
Eis o mistério! Ele é homem, mas homem chamado. Chamado por Deus, Chamado pelo Onipotente, Onisciente, Onipresente Deus. Ele carrega o preço, mas também a honra de ser embaixador dos céus. Isso mesmo: Embaixador dos céus. Ouçamos o que disse Paulo: “De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus” (1Co 5.20).
Que homem é esse, carregado de tão grande responsabilidade? Que homem é esse, cheio de tão grande cabedal, que nem mesmo os mais ilustres catedráticos carregam? Esse homem é o PASTOR.
Pastor escolhido, nomeado, encarregado, ordenado, para a mais árdua e sublime missão.
Pastor que chora e consola.
Cansado, mas da descanso.
Passa fome, mas alimenta.
Morrendo, mas dando vida a muitos.
Ah, que missão é está? Missão impossível aos olhos humanos. Impossível para a matemática, à ciência, à filosofia, à astronomia. Mas não é impossível para Àquele que o chamou.
Quem chama pastores é o Deus do impossível. Ele é o único que multiplica zero por zero e o resultado é positivo (Is 40.21). Ele fez maravilhas no passado e continua fazendo maravilhas no presente. A bem da verdade, somente Ele faz maravilhas! Foi o Senhor quem chamou o pastor.
Feliz o pastor que exerce o seu chamado com dignidade, alegria, e honra. Pois foi o Senhor Deus, que comissionou os pastores para tão relevante missão. FELIZ DIA A TODOS OS VERDADEIROS PASTORES CHAMADOS POR DEUS.



Pr Daniel Nunes da Silva

terça-feira, 17 de maio de 2016

CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO AVIVAMENTO


At 2. 37-47

I.              Produz conversão genuína, arrependimento (At 2.38; 2Cr 30.6,9).
a.     Conversão é uma volta de 180 graus, voltando-se em direção contrária a que estava andando anteriormente. Paulo de perseguidor passou a ser perseguido (At 9.1,2, 16,20-22; 1Tm 1.13).
b.     As línguas estranhas, o barulho que se faz no culto, as altas glorias que são dadas, se tornam inócuas e inoperantes, se o cristão não tiver uma vida que corresponda com a fé que abraçou (Tg 1.21-27; Am 5.23; Is 29.13; Ez 8.16).

II.            Produz unidade e comunhão (At 2.42,44; 2Cr 30.13).
a.     Deus se agrada da união de seu povo (Sal 133; 1Co 1.10-13).
b.     Quando o azeite enche os vasos, eles se unem (2Rs 4.4,5).
c.      O Espírito Santo traz unidade (Ez 37. 9,10; At 2.6-11; 4. 32).
d.     Nunca vi um crente verdadeiramente cheio para ter inimizades, pois inimizade é uma obra da carne e não combina com o fruto do Espírito Santo (Gl 5.20).

III.         Produz temor e como consequência a santificação (At 2.43; 2Cr 30. 17,18).
a.     Não se pode falar em avivamento sem falar em temor e santificação (Lc 5.8,9; Jó 42. 5,6).
b.     Enquanto a justificação me coloca na posição de justo diante de Deus, a santificação me mantem justo (2Co 7.1).
c.      Eu me santifico ainda mais, quando reconheço a santidade de Deus e temo de me aproximar Dele de qualquer maneira (Ex 19. 10,11, 22,23; Gn 17.1).
d.     Um dos nomes do Espírito Santo é Espírito de Santificação (Rm 1.4).
e.     Outro nome do Espírito Santo é Espírito de Temor (Is 11.2).
f.       Portanto, quando o avivamento do Espírito Santo chega à vida do crente, ele será movido no temor a Deus e em santificação.



quinta-feira, 12 de maio de 2016

DESPEDIDA DO PASTOR ALICIO BEZERRA CAVALCANTE FOI EMOCIONANTE


Em um culto de rosto banhado por lágrimas, uma multidão de irmãos, juntamente com os familiares, se despediram do pastor Alicio Bezerra. O culto foi marcado por lembranças, saudades e esperança de encontrar com nosso amigo e irmão na gloria celestial. A mesa diretora estava presente, bem como a diretoria da Igreja Assembleia de Deus em Campina Grande. Chegaram mensagens de muitas partes do Brasil, como do pastor José Carlos de Lima, presidente da UMADENE, e da CONADEP, convenção de João Pessoa; do Pastor Wellington Junior, filho do presidente da CGADB, do pastor Antonio José, presidente da AD em Fortaleza, entre tantos outros.
O culto que foi dirigido pelo pastor Daniel Nunes da Silva, presidente da Assembleia de Deus em Campina Grande, e COMEAD-CGPB, terminou por volta das cinco horas da tarde, e um grande cortejo se dirigiu ao cemitério de Bodogongó, onde foi sepultado o corpo do veterano servo do Senhor.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

TOMBA-SE UM PRÍNCIPE



“... Não sabeis que, hoje, caiu em Israel um príncipe e um grande?” 2Sm 3.38b

Terça feira, dia 10 de maio de 2016 ficará marcado na história da Igreja Assembleia de Deus em Campina, na Paraíba e no Brasil, como o dia em que tombou um príncipe das fileiras dos fieis soldados da milícia do Senhor Jesus na terra: Pastor Alício Bezerra Cavalcante. Soldado valente, animoso, incansável, alegre, sério, altruísta, amigo, amoroso, conselheiro, sincero, santo, exemplo, pregador, plantador de igrejas, sofredor pela causa do Reino.
Foi incansável! Trabalhou até as últimas horas na obra. No dia 09, segunda feira, participou de sua última Santa Ceia no templo Central. Como sempre fazia, dirigiu a primeira parte da reunião dos obreiros na parte da tarde. Gostava de cantar os hinos da harpa Cristã; mas nesse dia, solicitou ao pastor Salatiel Silvestre que cantasse. A noite estava lá: firme para o culto de ceia. Sentou na fileira da frente, pois ali era seu lugar. Recebeu as homenagens da igreja pela comemoração dos 88 anos de vida. Todos se alegraram com essa data! Sempre com um sorriso franco em seus lábios, participou de tudo: Cantou, se alegrou, ajudou na celebração da ceia. Orou consagrando o cálix que continha o símbolo do sangue de Jesus. Ao terminar a ceia permaneceu abraçando aos irmãos, seus amigos e filhos espirituais. Todos o chamavam de pai. Era homem honrado e querido por todos.
Pastor Alicio nos fará muita falta! Quantas viagens ao sertão, Curimataú, Cariri, que ao voltarmos, tarde da noite; algumas vezes alta madrugada, lá vinha ele: cantando aqueles antigos hinos de louvor a Deus. Cantando baixinho pois era tarde, mas não parava de cantar. “já o verbo era Deus”, “Se a cruz falasse”, “Telefone para o céu” etc.
A família sentirá muita falta, a igreja sentirá muita falta, a Mesa Diretora do qual fazia parte por longo tempo, sentirá sua falta; mas o céu está em festa. Em festa porque entra um campeão. E quando um campeão entra, todos saem às ruas para recebê-lo. Assim foi com o pastor Alicio Bezerra Cavalcante. O céu o recebeu com galhardia.
Não é exagero não: Pastor Alicio era homem como qualquer um de nós, sim, era homem. Mas, sem nenhuma sombra de dúvida, entra para a galeria dos heróis da fé. Entra para o rol dos valentes do Senhor. Plantou igrejas em tempos difíceis. Sofreu no ardor do fanatismo religioso que ainda imperava no Brasil, principalmente no sertão nordestino, mas, não abriu mão de sua fé. Não vacilou em continuar levando a boa semente da salvação. Jesus era tudo para ele.
A terra fica mais pobre com a partida desse príncipe. Sentiremos muito os dias sem ele por perto de nós. Pois agora, ele descansa no paraíso de Deus, esperando o dia da ressurreição dos justos, quando unidos todos os salvos, encontrar-se-ão com o Senhor nos ares.
Companheiro de lutas e vitórias. Fica aqui nossas eternas saudades. Saudades que vão doer em nosso peito, não sabemos por quanto tempo; mas vai doer. Descansou de suas fadigas e lutas nosso amigo, irmão, pai, Foi soldado lutador até ao fim. Cumpriu o que disse o Senhor a Daniel: “Tu porém, vai até ao fim”.


Pr Daniel Nunes da Silva

domingo, 8 de maio de 2016

CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO AVIVAMENTO


At 2. 37-47

De nada teria adiantado, se os crentes tivessem sido cheios do Espírito Santo, falado muitos em línguas estranhas, e, essa experiência não trouxesse resultados práticos e positivos em suas vidas diárias. As evidencias de um verdadeiro avivamento, não são as muitas línguas, nem os decibéis de barulho que se ouvem nos cultos, mas, uma vida prática, diferente, que contribui para mudança na sociedade.
Faremos uma conexão entre At 2, com 2 Crônicas 30, mostrando o que produz o verdadeiro avivamento.

I.       Produz desejo da observância da Palavra de Deus.Ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos varões irmãos” (At 2.37); “E ordenaram que se fizesse passar pregão por todo Israel, desde Berseba até Dã, para que viesse a celebrar a Páscoa ao Senhor, Deus de Israel, A Jerusalém; porque muitos a não tinha celebrado como estava escrito" (2Cr 30.5).
a.     O avivamento que não produz fome pela Palavra não é legítimo. Todas as vezes que o verdadeiro avivamento chegou, a primeira coisa que o povo fez, foi ouvir e observar a Palavra.
b.     Deus disse para Josué, que a prosperidade dele, como líder, e a vitória do povo de Israel sobre seus inimigos, estavam condicionadas a observância da Palavra de Deus (Js 1.8).
c.      Foi assim no tempo de Esdras e Neemias, no grande avivamento que houve, na volta dos cativos a Jerusalém (Ne 8. 1-5,8).
d.     No avivamento que houve no tempo de Josias, o livro da lei, que há muito estava perdido, foi achado, lido e observado (2Cr 34. 14-16).
e.     O salmista fala do homem que teme ao Senhor, e o seu prazer em meditar na lei do Senhor de dia e de noite (Sl 1. 2).
f.       A falta de apetite pela Palavra é um sinal evidente de uma vida vazia do Espírito Santo (2Tm 4.3,4).
g.     O crente cheio do Espírito Santo, não se conforma com pouco da Palavra, ele quer abundancia dessa fonte inesgotável (Cl 3.16).
h.     A igreja do Novo Testamento foi uma igreja criada com a Palavra, vejamos isso pormenorizado:

(1) Jesus foi o maior pregador de todos os tempos (Mt 5.1 a 7.28). Antes de subir aos céus, mandou os seus discípulos ensinar a Palavra (28.18-20). Apenas uma vez a bíblia diz que Jesus cantou (Mc 14.26);
(2) Os apóstolos começaram o primeiro culto orando e pregando (At 1.14; 2. 14). A primeira pregação apostólica resultou em quase três mil convertidos (At 2.41).
(3) Os apóstolos e demais crentes, após orarem e serem cheios do Espírito Santo, anunciavam com ousadia a Palavra de Deus (At 4.31). (4) Quando os diáconos foram instituídos, os apóstolos falaram: “Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da Palavra” (At 6. 4). Veja a importância que eles davam na ordem deixada por Jesus.
(5) Os que iam dispersos não faziam outra coisa a não ser anunciar a Palavra (At 8. 4).
(6). Filipe desceu a Samaria e pregava a Cristo, e o povo o ouvia (At 8. 5,6).
(7) Saulo se converteu e começou logo a pregar a Palavra (At 9. 19-22). 
(8) Cornélio mandou chamar a Pedro e disse: nós queremos ouvir a Palavra, e Pedro pregou a Palavra (At 10. 33-38).
(9) Os varões de Chipre e de Cirene, anunciavam aos gregos a Palavra (At 11. 20).
(10) Paulo, mesmo preso em Roma, em uma prisão domiciliar, passou dois anos pregando a Palavra (At 28. 30,31).
(11) Paulo diz que a fé vem pelo ouvir e o ouvir pela Palavra de Deus (Rm 10.17).
(12) Uma das caraterísticas inerentes ao ministério deve ser ao do ensino da Palavra de Deus (1Tm 3. 2; 5.17).
(13) Paulo manda a Timóteo que pregue a Palavra (2Tm 4.1-5).
(14) Pedro nos ensina que a geração espiritual, ou melhor: o novo nascimento somente vem pela Palavra (1Pe 1. 23-25).
(15) João nos diz que os jovem crentes serão fortes, se a Palavra de Deus estiver neles (1Jo 2.14).
(16) Jesus aparecerá no final da Grande Tribulação para estabelecer o milênio, juntamente com a sua igreja, e o nome que ele será chamado nesse tempo será: “... a Palavra de Deus” (Ap 19. 13).
(17) O livro de Apocalipse termina com uma exaltação profunda a Palavra, exprimindo o alto valor da mesma, tanto para salvação quanto para a condenação (Ap 22. 18-20).

Portanto, não há avivamento sem que tenhamos sede e fome da Palavra do Senhor.



AGUARDEM A PRÓXIMA CARACTERÍSTICA EM BREVE.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

CARACTERÍSTICA DE UM VERDADEIRO CRISTÃO


Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (1Jo 2.15). Entre outras características de um homem nascido da vontade do Espírito Santo, como: andar como Jesus andou, amar aos irmãos, viver na luz, o despojamento das coisas mundanas está como algo visível diante dos homens. O Salmista se expressou dizendo: “Bem aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores” (Sal 1.1).
Muitos daqueles que dizem conhecer a Jesus hoje em dia, que acham que são cristãos, não conseguem se desvencilhar do mundo. Eles buscam as coisas do mundo da mesma maneira que os corvos procuram por animais mortos. Sabe por que eles fazem isso? Eles ainda não tiveram um verdadeiro conhecimento do sacrifício de Jesus na cruz do calvário. São pessoas que se você falar que eles não conhecem a Deus, chegam até discutirem bem a morte de Jesus teologicamente. Eles também leem a Bíblia. Leem, não para encontrar a Deus, mas para seu bel prazer. Quem sabe como um livro de autoajuda. Todos os dias estão atrás do versículo do dia. Deixaram de seguir o horóscopo, mas tomaram a Palavra de Deus como um amuleto. Pobres pseudos cristãos!
Para esses tais, tanto faz estar no culto, como em uma festa mundana. Tanto faz ouvir “alvo mais que a neve”, ou uma musica que exalta a promiscuidade, sexo livre, amor erótico. Tanto faz estar lendo a Bíblia, como estar em uma página pornográfica na internet. Para eles é a mesma coisa, estar no culto ouvindo a Palavra de Deus, ou estar na roda dos ébrios, sensuais e idólatras. Eles não se importam em beber bebidas embriagantes, estar nos estádios de futebol, onde os palavrões são ditos a cada segundo. Elas não achas nenhum problema em usar aquela blusa decotada mostrando seus seios, ou a saia curta mostrando parte de suas pernas, mesmo que causa sensualidade. Para esses pseudos cristãos, o mundo não é problema. Eles tiram de letra. Eles amam o mundo e tudo o que nele há.
Para àqueles que sabem discernir o sacrifício de Jesus. Que sabem o preço que nosso Senhor pagou por nossa salvação. Que sentem que foram declarados justos pelo Pai. Que sabem o que significa a expressão do profeta Isaias “Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades: o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Is 53. 5). Que entendem o que quis dizer Paulo, quando disse: “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus” (2Co 5.21). Esses podem dizer como disse Paulo: “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo” (Gal 6. 14).
Faça o teste você mesmo. O amor pelas coisas mundanas ainda está arraigado em teu coração? Você se deleita com cantores mundanos? Tem ídolos terrenos? Bom, você está precisando ter um encontro verdadeiro com Jesus, para que tenhas uma conversão genuína. Faça isso agora mesmo. Confesse os seus pecados pedindo perdão a Deus e Ele é fiel e justo para te perdoar e te dar vida nova. Amém.


Pr Daniel Nunes